sábado, 3 de dezembro de 2016

Jesuítas, Construtores da Globalização


Esta edição, da autoria de Carlos Fiolhais e José Eduardo Franco, dá a conhecer uma das ordens religiosas mais fascinantes e controversas das escolas ocidentais: a Companhia de Jesus, criada em Paris em 1534 pelo basco Inácio de Loiola (1491-1556), e aprovada pelo Papa Paulo III em 1540. É uma das ordens religiosas mais estudadas em escolas ocidentais. 

Tendo surgido logo após as primeiras grandes viagens dos Descobrimentos, os Jesuítas participaram na dinâmica da globalização que essas viagens abriram, e contribuíram, com as suas sistemáticas recolhas, para a grande revolução do conhecimento.
Não se pode estudar a história da cultura, incluindo a religião, a ciência, a filosofia, a literatura e a arte, sem levar em conta os contributos dos Jesuítas. Os padres da Companhia estiveram nos centros nevrálgicos das decisões, das transformações e recomposições sociais e políticas desde o início da modernidade, tendo protagonizado o primeiro processo de globalização.
Num século em que Portugal detinha um império marítimo polvilhado de fortalezas e feitorias, foi no nosso país que encontraram o acolhimento para se lançarem na sua aventura de evangelização planetária.
Este livro pretende revisitar a história mundial desta ordem, com foco especial na relação dos Jesuítas com a história da globalização portuguesa, pouco mais de duzentos anos após a Restauração da Companhia de Jesus decretada pelo papa Pio VII em 1814, apresentando os grandes marcos desta história e acompanhando a projeção mundial desta Ordem, enfatizando as inovações e os sucessos, mas sem escamotear as fraquezas e os insucessos.

Ficha técnica:

Título:  Jesuítas, Construtores da Globalização
Autor:  José Eduardo Franco e Carlos Fiolhais
Edição: CTT (2016)
Design: Design&etc
Formato:  245 X 245 mm
Páginas:  176
Tiragem: 4000 exemplares
ISBN: 978-972-8968-77-9
_________

Apresentação da obra "Jesuítas, Construtores da Globalização" de José Eduardo Franco e Carlos Fiolhais
por José Augusto Bernardes (Faculdade de Letras da UC).
.
Horário: 15 de dezembro - 16H00
Local: Museu da Ciência (Universidade de Coimbra) - Anfiteatro do Laboratorio Chimico
Entrada livre

Sem comentários: