terça-feira, 14 de junho de 2016

Da inter-relação entre os movimentos sociais, ambiente e educação


Relevância social e educativa do processo global de desenvolvimento para a construção humana

Adérito Gomes Barbosa
Universidade Católica Portuguesa

Sónia Alexandre Galinha
Instituto Politécnico de Santarém - Centro de Investigação em Educação da Universidade da Madeira

Constitui-se como objetivo central deste nosso paper apresentar a inter-relação entre os movimentos sociais, ambiente e educação, entendida a educação, de hoje, nas sociedades modernas, como um processo relacional extraordinariamente complexo, e um processo de mutação cultural acelerado (Toffler,1991), ininterrupto que vai da infância à vida adulta alargando-se do ciclo familiar aos diferentes lugares e espaços de sociabilidade: os jovens vivem no mundo sujeitos a transformações rápidas e radicais, geradoras de conflitos, de dramas sociais interiores, que provocam desilusão, medo e instabilidade. Segundo Ooijens e Kampen (2001) na distinção da educação formal, não formal e informal aplicam-se dois critérios: a organização da educação numa sequência de graus e níveis oficialmente reconhecidos e a existência de uma programação clara das ações educativas. Através do primeiro critério diferencia-se a educação formal da não formal, enquanto o segundo permite fazer a diferença entre os dois e a educação informal. Assim, quando se fala em educação, neste paper, não se pretende identifica-la com a instituição escolar. Entende-se a educação como processo global de desenvolvimento com o apoio dado pelas instituições educativas. A própria UNESCO apresenta como políticas educativas para os jovens e adultos, entre outras: um maior relacionamento entre os sistemas formais e não formais, assim como uma educação holística que cubra todos os aspetos da vida. O bem-estar psicossocial humano, central para os saber-ser, saber-fazer, saber-pensar e saber-conviver é uma variável que assume uma centralidade ímpar nas ciências sociais e humanas, pela complexidade subjacente e pela importância que tem para a vida social dos grupos dinâmicos. A par de outras formas qualitativas do nosso estudo, para a recolha de dados, inserida no domínio da Cognição Social aplicámos a EBEPS-A (p=.01; 5 fatores=37,15% da variância; alfa de cronbach.96). Amostra aleatória=157; 54,1% f; 45,9% m, estudantes 9ºano, Portugal. Os resultados mostram a existência de uma relação forte entre as variáveis consideradas (motivação, autoestima, bem-estar interpessoal, autoeficácia e suporte social). As subescalas exibem uma relação positiva forte entre elas, ou seja, influenciam-se mutuamente. Com pré e pós teste PEBEPSI-A concluímos que os grupos sociais estudados, o ambiente e a educação em análise ganham quando promovem e integram o desenvolvimento de competências construtivas e participativas.
Palavras-chave: educação, complexidade, holística.  

Continuar a ler artigo em Atas ICICSE-IIIESE-Vol I [pp. 1 – 680]

Barbosa, A. G. & Galinha, S. A. (2013). Relevância social e educativa do processo global de desenvolvimento para a construção humana (pp.325-332). In J. A. Pacheco & A. J. Afonso (Org.), O Não-Formal e o Informal em Educação: Centralidades e Periferias (Atas ICICSE-IIIESE-Vol I [pp. 1 – 680]). Braga: Centro de Investigação em Educação (CIEd), Instituto de Educação, Universidade do Minho.

Sem comentários: