domingo, 11 de outubro de 2015

Hora da Poesia

Não te chamo para te conhecer
Eu quero abrir os braços e sentir-te
Como a vela de um barco sente o vento

Não te chamo para te conhecer
Conheço tudo à força de não ser

Peço-te que venhas e me dês
Um pouco de ti mesmo onde eu habite

In Obra Poética, Sophia de Mello Breyner Andresen, Caminho 2ª ed. 2011.


Foto: © Pegg In "O Tempo das Palavras".

Sem comentários: