domingo, 20 de outubro de 2013

Formação de Professores: DISCALCULIA


O termo discalculia deriva de acalculia, o qual descreve um transtorno adquirido da habilidade para realizar operações matemáticas, depois de estas se terem desenvolvido e consolidado. Contrariamente à acalculia, a discalculia encontra-se sobretudo em crianças, é de carácter evolutivo ou desenvolvimental, não resulta de uma lesão e associa-se sobretudo a dificuldades de matemática.
É uma perturbação que se manifesta na dificuldade de aprendizagem do cálculo. Esta dificuldade pode-se manifestar em vários níveis da aprendizagem. Assim, podemos encontrar dificuldades ao nível da leitura, escrita e compreensão de números ou símbolos, compreensão de conceitos e regras matemáticas, memorização de factos ou conceitos ou no raciocínio abstracto. Podem ainda estar associadas dificuldades em aprender a ver as horas ou lidar com o dinheiro.
São contudo notórias dúvidas que se prendem com as aprendizagens neste domínio. Muitos profissionais continuam a questionar-se sobre como promover as aprendizagens matemáticas, que tipo de actividades planificar e que estratégias desenvolver, que conteúdos explorar, que dinâmicas e relações estabelecer, que intenções reflectir e planificar para melhor intervir e dinamizar.

O encontro “Discalculia – Entender e intervir na dificuldade com os números e cálculos” organizado pela Clínica da Educação,  procura ser assim um espaço de reflexão e debate em torno das intenções da acção e das próprias práticas dos profissionais  e parentais enquanto condição essencial para o desenvolvimento da criança.

“A pessoa com discalculia terá problemas com o raciocínio matemático a vida inteira. Mas com o tratamento adequado, ela poderá adquirir os conceitos satisfatoriamente”.
INSCRIÇÕES AQUI.

Sem comentários: