sexta-feira, 20 de maio de 2011

Inquietações Pedagógicas...


«Conhece aquela lenda indiana dos quatro cegos que foram dar um passeio numa floresta e encontraram um elefante? Um foi de encontro à barriga do elefante e disse: "Está aqui um muro!" Outro chocou com a perna do elefante e observou: "Encontrei uma árvore!" O terceiro cego tocou na tromba do elefante e comentou: "Está aqui uma mangueira!" O quarto cego sentiu a cauda e exclamou: "Encontrei uma corda!"
Os quatro juntos poderiam chegar à conclusão que tinham encontrado um elefante. Mas, para isso, teriam de admitir que há outros pontos de vista. Se cada um se mantém no seu modo de ver e não admite outro, torna-se mais cego.
Quanto mais cada um se fixa na sua maneira de ver, menos vê.

Daí a célebre expressão: "o pior cego é o que não quer ver"?
O verdadeiro cego não é aquele que não vê. É o que não quer ver. Por isso, o primeiro dever é o dever de ver!»
(...)

Laurinda Alves e Alberto Brito sj (2011). Ouvir, Falar, Amar. Alfragide: Oficina do Livro.

Sem comentários: