segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Da Avaliação das Aprendizagens

A avaliação como estratégia de ensino.
Avaliar processos e resultados


Norberto Boggino
Universidade Nacional de Rosário, Argentina


Resumo
Pensar a avaliação como uma das componentes das estratégias de ensino parte de uma concepção epistemológica construtivista, coerente com uma concepção de sujeito e, por acréscimo, com uma postura pedagógica. Avalia‑se para se conhecer e só conhecendo o que o aluno sabe ou não sabe é que é possível realizar intervenções pedagógicas apropria­das, que tendam a gerar melhorias nas suas aprendizagens. Por isso, consideramos que o ponto de partida do ensino tem que ser a avaliação, e não os conteúdos curriculares (com toda a importância que têm), propondo que se avaliem não apenas os resultados (algo ne­cessário), mas que também se avaliem os processos de aprendizagem. São estes últimos os que permitem aos professores oferecer aos seus alunos um apoio pedagógico sistemático e ajustado às suas possibilidades de aprendizagem e que garanta a continuidade do seus processos de aprendizagem. Por outro lado, e dada a tradição escolar que, não raramente, confunde avaliar com classificar, distinguimos claramente a avaliação, como um processo estritamente pedagógico, da acção de índole administrativa: a classificação. Uma distinção que consideramos importante para que o docente outorgue a cada uma destas instâncias o lugar que cada uma tem que ocupar.

(continua)

In Boggino, Norberto (2009). A avaliação como estratégia de ensino. Avaliar processos e resultados. Sísifo. Revista de Ciências da Educação, pp. 79-86.

2 comentários:

Tania Aires disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Licas disse...

Cara Amiga

No meu blog, está desde hoje aberto um concurso de Conto de Natal.
Convido-te a participares, bem como a todos os teus contactos que pretendam unir-se a nós.

Divulga e aparece.
Um abração
Licas