quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Congresso Internacional - Avaliação em Educação




APRENDER AO LONGO DA VIDA
Contributos, perspectivas e questionamentos do currículo e da avaliação


Ao longo das últimas décadas, o paradigma da “aprendizagem ao longo da vida” tem adquirido uma inegável centralidade nas retóricas e nas políticas de resposta aos desafios resultantes dos processos de globalização, de competitividade generalizada e, sobretudo, de aceleração tecnológica e de “virtualização” do saber, sendo, ao mesmo tempo, objecto das ambições emancipatórias dos sujeitos e das comunidades numa busca de equidade, justiça e democracia.

Nesta reconfiguração da educação, hoje com contornos marcadamente globais, assiste-se a profundas e radicais mudanças cujos efeitos sistémicos são bem evidentes na regulação das políticas educativas e curriculares com a emergência de instâncias transnacionais e/ou supranacionais, na construção e no desenvolvimento das identidades e percursos profissionais, na valorização científica e social dos contextos informais e não-formais de aprendizagem e na progressiva virtualização dos contextos e dispositivos de aprendizagem.

Seja como instrumento de inteligibilidade ou como dispositivo de acção, a avaliação tem assumido uma importância indiscutível na problematização deste conjunto de transformações, assim como na busca de soluções para os desafios suscitados pelo reforço do paradigma da “aprendizagem ao longo da vida”. Mesmo que dilacerado por mandatos diversos e antagónicos, o campo do currículo e da avaliação são, indiscutivelmente, lugares privilegiados para a produção de novas formas de pensar e de agir em educação.

É neste contexto que a temática do congresso se estruturará em torno dos seguintes eixos:
1.º: Avaliação das políticas curriculares de educação e formação ao longo da vida;

2.º: Aprendizagem ao longo da vida e avaliação do desempenho profissional;

3.º: Avaliação de “competências” adquiridas em contextos experienciais;

4.º: A avaliação das aprendizagens em ambientes formais, “virtuais” e a distância;

5.º: A avaliação da aprendizagem de adultos e educação não-formal


Programa e outras informações aqui.

Sem comentários: