domingo, 13 de junho de 2010

Dos Exames




Os exames atacam o tempo.
Ocupam. Preocupam.
Tomam os nossos dias todos,
como um miúdo mimado
que não gosta de repartir guloseimas.
Obrigam a viver por detrás
das persianas.
«Desculpem hoje não vou.»
«Desculpem hoje não estou.»
Os exames trazem outros ritmos.
Empilham-se textos. Desfilam leituras.
Acho que já sei. Acho que nada sei.
Não há, por aí, quem ajude?

Os exames atacam o tempo.
Ocupam tudo.
Acontece, talvez por isso,
tropeçarmos mais vezes em nós.
«O que ando a fazer aqui?»
«Estou bem?»
«Gosto do que estudo?»
«Gosto do modo como estudo?»
«Para que serve tudo isto?»
Atenção: estas perguntas valem tanto como as que vêm no teste.

Os exames atacam o tempo.
Põem-nos longe dos outros.
Há que tempo não os vemos.
Acontece, talvez por isso,
os sentirmos, afinal, mais perto,
Chegados ao coração.

Nos exames damos por nós a pensar,
mais vezes em Deus.
Não só porque troveja.
Mas porque pensar n’Ele faz-nos bem.
Dizemos-Lhe coisas. Pedimos ajuda.
Que Ele nos dê a «ajuda»
de compreender
como Ele nos apoia sempre.

José Tolentino Mendonça

1 comentário:

Licas disse...

Um grande abraço, com o desejo de tornar mais leve este período de exames.
beijinhos
Licas