quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Hora da Poesia e da Homenagem





Com que pedra de sal
com que promessa
com que pássaro solto pela casa
com que folha de louro
com que sonho
com que lua entornada no alpendre
com que livro de quem
com que sonata

temperarei a dor da tua ausência
o silêncio
o vazio na minha cama
os gritos do meu corpo
o pão por partir da minha alma

Com que chuva
lavarei o rumor dos teus passos
no magoado coração dos dias

Com que pranto
afogarei teu rasto
com que manto de lava
com que mar.

(excerto)
Rosa Lobato Faria in A Gaveta de Baixo
(1932 - 2010)

7 comentários:

BC disse...

E abriste muito bem, com esta homenagem à Rosa Lobato Faria.
Uma excelente comunicadora da palavra em todas as vertentes.
Obrigada pela partilha.
:))))S

licas disse...

Olá Fátima
Associo-me por inteiro a esta homenagem e agradeço-te que a tenhas pensado.
Eu não estou numa boa fase e como tal afastei-me um pouco. Espero regressar em breve com a alegria e bem-estar que devem caracterizar uma boa companhia.
Até lá um abraço
Licas

Pascale disse...

je ne connaissais pas cette poétesse, mais j'aime bien, même si j'ai besoin de lire au moins 2 fois pour comprendre ...

João André disse...

de modo a poder ajudar quem queira tentar uma vida la fora no ramo de ensino criei o seguinte blogue

www.daraulaseminglaterra.blogspot.com/

seria possivel coloca-lo na lista de links favoritos? De bom grado retribuirei o favor, basta mandaram-me um mail a confirmar este meu pedido.



Com os meus cumprimentos

Joao Andre Costa
email: jacho8@gmail.com

Licas disse...

Olá Fátima
~Tentando recomeçar a minha passagem por aqui, deixo o meu abraço
Licas

Anónimo disse...

Bonita esta homenagem a uma grande criadora.

Em@ disse...

Descobri a Rosa Lobato Faria como escritora e poeta há 1/2 dúzia de anos. Já assumi por diversa vezes que tinha um deteminado "preconceito" em lê-la por causa das canções dos festivais. Estupidez da minha parte,e logo eu que tento n~so me deixar levar pelas aparências. Resultado, desde que li o 1º livro dela que fiquei "presa" à sua escrita... Recomendo-a, não fica a dever nada à Isabel Allende, Rosa Esquível ou Joanne Harris.
Gostei de passar por aqui. Voltarei!