quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Nobel de Literatura


Mais uma mulher entre os notáveis. O anúncio foi feito hoje pela Real Academia Sueca: A escritora romena naturalizada alemã Herta Müller é a vencedora do Prémio Nobel de Literatura 2009, em reconhecimento a uma obra que é "concentração ou densidade da poesia e a franqueza da prosa" e que "descreve o universo dos despossuídos".

A escritora, que vive em Berlim desde 1987, nasceu em Nitzkydorf (Roménia) em 1953, dentro de uma família da minoria alemã nesse país - à qual pertenceram outros escritores emblemáticos alemães, como Oskar Pastior - e desde muito cedo tentou colocar pontes entre as duas culturas às quais pertencia.

Herta Müller estudou filologia alemã e filologia romena simultaneamente, tentando aprofundar os conhecimentos das duas literaturas às quais sentia que pertencia.

Entrou em conflito com a Roménia do ditador Nicolae Ceaucescu, onde perdeu seu primeiro trabalho, como tradutora em uma fábrica de máquinas, por se negar a colaborar com o serviço secreto da Roménia comunista.

Seu primeiro livro, "Niederungen", ficou quatro anos na editora antes que finalmente pudesse ser publicado, em 1982, com cortes impostos pela censura romena.

Em Portugal foram publicados os seus livros: O homem é um grande faisão sobre a terra (Cotovia, 1993) e A terra das ameixas verdes (Difel, 1999).

Para saber mais aqui ou aqui.

Nota:
Amanhã será anunciado o prémio Nobel da Paz. Aguardamos com alguma espectativa.

1 comentário:

ematejoca disse...

Há 20 anos, que Herta Müller descreve a vida sob o regime do ditador romeno Ceaucescu, o que satura qualquer leitor/leitora!!! Nunca encontrei ninguém, que fosse tao rigorosa contra o regime comunista.