domingo, 20 de setembro de 2009

Hora da Poesia



Porque todos os dias são dia da mãe, aqui fica a minha singela homenagem a todas as mães.





Palavras para a Minha Mãe

mãe, tenho pena. esperei sempre que entendesses
as palavras que nunca disse e os gestos que nunca fiz.
sei hoje que apenas esperei, mãe, e esperar não é suficiente.

pelas palavras que nunca disse, pelos gestos que me pediste
tanto e eu nunca fui capaz de fazer, quero pedir-te
desculpa, mãe, e sei que pedir desculpa não é suficiente.

às vezes, quero dizer-te tantas coisas que não consigo,
a fotografia em que estou ao teu colo é a fotografia
mais bonita que tenho, gosto de quando estás feliz.

lê isto: mãe, amo-te.

eu sei e tu sabes que poderei sempre fingir que não
escrevi estas palavras, sim, mãe, hei-de fingir que
não escrevi estas palavras, e tu hás-de fingir que não
as leste, somos assim, mãe, mas eu sei e tu sabes.

José Luís Peixoto, in "A Casa, a Escuridão"

3 comentários:

Marta Vasil disse...

Fátima

Uma excelente escolha. Um poema que podia partir do peito de muitos de nós.

Beijinho

Cristina Bernardes disse...

Fatima... adorei esta homenagem, e vem mesmo a calhar, a minha mãe fez anos na sexta... O dia da mãe é todos os dias, reflecte-se nos olhos dos nossos filhos e nos sorrisos sinceros que nos oferecem todos os dias.

Beijinho

ARTISTA MALDITO disse...

É verdade, um sentimento partilhado e que se guarda lá no fundo.

Olá, Fátima:))

Venho agradecer as palavras deixadas no artista maldito, muito obrigada.

Vou fazendo por estar presente, embora com menos assiduidade. Só espero um diagnóstico final e o tratamento, porque isto arrasta-se há mais de 1 ano e meio. Pensava que era sarcoidose e agora já não sabem. Estou um pouco desgastada, o pior são as dores que me impedem de fazer movimentos.

Beijinhos
Isabel