segunda-feira, 1 de junho de 2009

Parecer tardio do Conselho Científico para a Avaliação dos Professores



(Ler a notícia In Diário de Notícia, 1.6.2009)


Mas eu não estou a perceber qual o espanto!? Isto não é o óbvio? Tiveram que esperar até aqui para concluir que a maioria esmagadora dos professores, não possui experiência, competência, nem perfil para avaliar os colegas? Não é preciso ser expert na matéria, nem pedagogo para perceber isso. O processo de implementação de grande parte das medidas educativas aconteceu sem qualquer período de testagem e sem ouvir os intervenientes. A Avaliação de Desempenho Docente (ADD) foi, entre outras, um dos maiores abortos em matéria de educação do início do séc. XXI. Tudo foi feito ao contrário, por isso, nunca poderá produzir frutos (bons). As anunciadas melhorias na qualidade do ensino, o desenvolvimento pessoal e profissional dos docentes são apenas miragens de políticas educativas destrutivas.


Quando digo tudo foi feito ao contrário, quero dizer que a ordem natural de implementação de um processo complexo como a ADD nunca deveria ter começado pela aplicação por imposição de orientações pouco precisas, confusas, burocráticas, com referenciais vagos e injustos... e depois de arrancar aos bochechos, porque começou muito mal, depois da pressão das escolas e dos professores, que hoje faziam de uma forma e amanhã faziam de outra, porque assim foram saíndo as orientações, também aos bochechos e maioritariamente contraditórias... então lá se percebeu que era preciso formar alguns professores. É uma vergonha! São inúmeros os avaliadores que nunca tiveram qualquer tipo de formação, nem como avaliados, nem como avaliadores. E depois, e só depois dos professores gritarem nas ruas as injustiças do modelo de ADD, por 3 vezes num só ano, até às 120 000 vozes em uníssono, então é que nas calmas se decidiu começar a investigar, como e em que condições os professores estão a responder às solicitações de implementação da ADD. Com isto tudo estamos no final do 1º Ciclo de Avaliação (com duração de 2 anos).

Era preciso fazer esta investigação para o Conselho Científico para a Avaliação dos Professores (CCAP) emitir o parecer supra? Mas a lógica não é a inversa?: investigação, formação e só depois a aplicação? Será que os Srs lá da tutela da educação e seus conselheiros já se deram conta do tempo que se queimou sem quaisquer benefícios?

6 comentários:

Anabela Magalhães disse...

Parece mesmo inacreditável, não é Fátima?
Que trapalhada com esta Avaliação de Doidos como lhe chama a Elsa!

Fátima André disse...

Anabela,
Tem sido mesmo um grande caos...
Vamos remando contra a maré... Fica a esperança dos ventos da mudança.

licas disse...

Fátima
Neste dia da Criança envio-lhe o meu abraço
Licas

bugsnaEDucação disse...

Como não o diria melhor, citei e linkei esta entrada no jardim.
Beijinhos.

Só agora tive tempo para ver o slide.
Foi um encontro curto mas muito reconfortante.

TVstar disse...

Olá Fátima!!
De facto, é pena que alguns demorem tanto....a ver o que está à vista há muito tempo!!
Beijinho

Anabela Magalhães disse...

Fátima
Ainda não comentei a foto que escolheste para o blogue.
Estás um espanto, Mulher!
Excelente escolha!
Também foi tirada num dia feliz! :)
Beijinhos