terça-feira, 26 de maio de 2009

Como acabar com o Voluntariado nas Escolas


Decreto-Lei n.º 124/2009 de 21 de Maio - Regulamenta o trabalho voluntário a prestar por pessoal docente aposentado

Ainda não me tinha debruçado sobre este decreto por uma questão de prioridades, até porque estou muito longe do seu enquadramento legal. Depois de ler atentamente, detive-me sobre alguma terminologia que me deixou perplexa. Assim:

Cabe à escola:
- Publicitar a oferta
- Seleccionar e proceder ao recrutamento dos voluntários
- Estabelecer com os candidatos os respectivos programas de voluntariado
- Avaliar periodicamente as prestações dos voluntários

Ao professor voluntário cabe:
- Cumprir prazos, horários, número de horas mínimas de trabalho, ...
- Elaborar um relatório anual da actividade que deve integrar uma auto -avaliação do trabalho desenvolvido
...
Pode ler-se em DL 124/2009 de 21 de Maio.

Mas há mais... entre as quais, o preâmbulo ao respectivo decreto-lei enquadra este atentado ao voluntariado no âmbito de uma evolução personalista, ligada ao direito ao desenvolvimento da personalidade. Que estranho! Eu interpreto-o precisamente como um impedimento, um obstáculo de acesso livre a esse direito. Este diploma vem invadir todos os espaços de liberdade, da escola e daqueles, os poucos, que ainda se dedicam ao serviço de voluntariado. Mas é o que eu penso, é uma opinião pessoal e vale o que vale.

2 comentários:

licas disse...

Por acaso!!!

A verdade é que quando me reformei coloquei a hipótese de ficar a trabalhar algumas horas na biblioteca (que eu montei, que cataloguei, que pus a funcionar ...). Encontrei uma tal resistência e má disposição da parte da colega que ficou a coordená-la que apenas lá pus os pés duas vezes e não voltei a aparecer.
Com que então íamos ser sujeitas à possível prepotência das pessoas?

Que faça quem lá está ou quem o ministério colocar com esse fim.
Tenho pena de ter endurecido, mas ... a vida a isso obriga.

Um abraço
Licas

Fátima André disse...

Licas,
Concordo consigo. É uma pena que até o trabalho gratuito não seja reconhecido como uma mais valia. Quem perde em 1º lugar são os alunos, é pena não entenderem isso.
Para compensar, quem tiver gosto de fazer voluntariado, há muitas instituições que agradecem.