sábado, 11 de abril de 2009

Hora da Poesia e da VIDA


PÁSCOA

Um dia de poemas na lembrança
(Também meus)
Que o passado inspirou.
A natureza inteira a florir
No mais prosaico verso.
Foguetes e folares,
Sinos a repicar,
E a carícia lasciva e paternal
Do sol progenitor
Da primavera.
Ah, quem pudera
Ser de novo
Um dos felizes
Desta aleluia!
Sentir no corpo a ressurreição.
O coração,
Milagre do milagre da energia,
A irradiar saúde e alegria
Em cada pulsação.

Miguel Torga (Gaia, 30 de Março de 1991)

In Diário XVI

1 comentário:

Anónimo disse...

Para A Fátima uma santa e terna Páscoa.Que a Ressurreição d'Ele sirva para o nosso constante renascer de nós para os Outros.
Existente Instante