terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Estórias com Valores

O Senhor Aparício

Autor: António Torrado
Ilustrador: Cristina Malaquias

Há pessoas que são convidadas para banquetes de muita cerimónia, mas que se portam com grande falta de cerimónia. O senhor Aparício é um deles.
Há tempos, o senhor Aparício foi a uma festa. Era à tarde. Pois o senhor Aparício nem almoçou, para estar com o estômago mais vazio, quando chegasse a ocasião de enchê-lo de graça.
Comeu que se fartou e, para ir prevenido com o jantar, quando voltasse a casa, encheu, disfarçadamente, os bolsos de provisões. Croquetes, bolos e bolinhos, tudo ia para as algibeiras.

De repente, sentiu a perna direita escaldada. Voltou-se e viu o criado entornar-lhe o bule de chá pela algibeira abaixo.
- Mas o que é isto? - perguntou ele, furioso.
Respondeu-lhe o criado, imperturbável:
- Peço perdão, mas como o senhor leva os bolos, pensei que também quisesse levar o chá.
Enquanto se lembrar desta vergonha, o senhor Aparício não vai voltar a fazer o mesmo. O pior é que ele é muito esquecido.

4 comentários:

Licas disse...

Tenho a impressão que nesta altura deviam andar por aí espslhados muitos funcionários com bules de chá a ferver, porque há muitos, mesmo muitos Senhores Aparício, neste nosso Portugal.

A educação, ou antes a falta dela é uma das maiores falhas do nosso povo.

Vamos instituir o selo "Bule de Chá" ?
Quem sabe fazer selos ?

Vá lá aceite e divulgue este desafio.
Um beijinho
Licas

Rosa Silvestre disse...

Pois isto acontece mais vezes do que se pensa. Conheci uma pessoa que foi a um casamento de "altas individualidades" e nesse casamento havia lagostas e lavagantes por muitas travessas,e em muitas mesas; o "aparício" de serviço vendo aquilo tudo e não podendo meter tudo na "pança", nem nos bolsos, comeu que se fartou e depois sentiu-se mal e foi vomitar; mais tarde, passado 1 hora, foi comer 2ª dose ...bom, se não visse não acreditava!

Fátima André disse...

Licas,
Vou pensar no seu desafio, mas talvez daqui a uns dias... mas aceitam-se ideias.
Beijinhos e muitos, muitos :))

Fátima André disse...

Rosa,
O pior mesmo é que os exemplos devem vir de cima e isso falha imenso. Quando os adultos não são exemplo para as crianças e jovens, o que podemos nós exigir dos nossos alunos?
Este é um assunto que me preocupa imenso e vejo a escola cada vez mais amputada, incapaz de responder a esta necessidade de transmissão de valores.