quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Debate: Sexo na adolescência

Amanhã, 26 Fevereiro-21h, na SIC


Educação sexual nas escolas, perigos da Internet e aumento de casos de violência no namoro são os temas em discussão do programa desta semana. O debate já está aberto: participe e deixe aqui o seu comentário.

Em estúdio vão estar presentes Jesuína Ribeiro, do Ministério da Educação, Daniel Sampaio, psiquiatra, Miguel Oliveria da Silva, obstetra/ginecologista e Vasco Pinto Magalhães, padre jesuíta.

A SIC lançou também um INQUÉRITO-online com a seguinte questão:
A Educação Sexual deve ser uma disciplina obrigatória?

Para ver resultados e votar clique aqui.

4 comentários:

BC disse...

E o meu filho também vai lá estar :)s.
Noutro papel mas faz o programa.
E agora a sério, acho o tema muito interessante.
Acho que em todas as escolas deveria haver Educação Sexual, nem todos os pais terão competência infelizmente para acompanhar os filhos.
Abraço
Isabel

licas disse...

Eu sou da opinião da Isabel. Todas as escolas deveriam ter educação sexual, mas - perdoem-me as colegas que me lerem - seria necessária uma grande reciclagem para os professores e apenas para aqueles que se sentissem vocacionados a abordar este problema sem tabus nem reticências. De outra forma, será pior a emenda que o soneto.

E acrescento mais ... Há poucos colegas com pedagogia e abertura de esp+irito suficiente para este trabalho.
Depois ... existem os pais.
Pois é. Eu quando tomei a decisão de avançar com este tema decorria o ano de 1887/88 fi-lo integrado na disciplina de Biologia, e por mote próprio dei um "minicurso"aos pais. ou chamemos-lhe antes uma réplica das aulas que iria dar aos alunos, pedindo-lhes que interviessem, dando-me achegas para que eu podesse realizar a tarefa com um êxito maior.
Considero que correu muito bem, porque tinha a prévia aceitação dos pais e o seu posterior complemento às aulas dadas.

Portanto ... Pela Educalção Sexual sim, mas ...com as devidas precauções e preparação.
Licas

IC disse...

Para ensinar qualquer disciplina é preciso ter formação específica, mas para a educação sexual - aliás, para as chamadas áreas curriculares não disciplinares, como a formação cívica - ninguém fala em que deva haver formação adequada! Por isso, embora ache importante a educação sexual nas escolas, não deixo também de pôr algumas reticências, sobretudo se se considerar que qualquer professor pode dar essa formação.

Fátima André disse...

Educação sexual nas escolas - SIM. Disciplina de Educação Sexual - NÃO.
Concordo com ambas. A formação especializada é sem dúvida muito relevante e pode fazer a diferença. Mas acho que não deve ser apenas os docentes das áreas curriculares a leccionar conteúdos sobre esta área temática. Deve sim existir projectos consistentes nas escolas, desenvolvidos em parcerias com várias entidades, nomeadamente, Centros de Saúde, Psicólogos, Insituições de Ensino Superior e outros parceiros considerados relevantes, de acordo com as necessidades da comunidade escolar e meio envolvente.
E porque não usufruir das áreas curriculares não dispiplinares de Área de Projecto e Formação Cívica para dinamizar um projecto de formação de alunos neste sentido? Sou defensora de que se deve aproveitar os tempos lectivos que os alunos têm marcados no horário e nunca sobrecarrega-los com mais tempos obrigatórios. Mais disciplinas, não! Por favor. Os miúdos no 3º Ciclo já têm 15 áreas curriculares.