quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Uníssono


Um coro de
mil vozes
em uníssono
na minha voz se faz ouvir
eco de outras vozes devolvido
as vozes que um dia acolhi.

São tantas as vozes
no insondável silencio
todas a uma só vez escuto
e o imperceptível murmúrio
é ladainha a lembrar
Babel na dispersão.

No coro de mil vozes
distingo a minha
buscando sempre na inquietação
poder chegar a tempo a quem a oiça
do alto da claridade que alcançou.

E quando a voz antiga
de manso chega
a voz que oiço em mim
de longe vinda
descubro ser a minha
a voz que grita, no murmúrio
de mil vozes que a habita.

2 comentários:

Teresa disse...

Quem é a Angela Santos? Nao é uma pergunta retória, gostava mesmo de saber.

Fico sempre muito satisfeita quando me deixa um comentário no "ematejoca azul". Mas desta vez, muito especialmente, ao saber que, talvez, visite a minha cidade.
Como nao sei, se vai ler os comentários de resposta, vou-lhe mandar o do Artista Maldito, que também vive no Porto.

"Pois é uma óptima ideia as pessoas virem ao Porto, ou visitarem Serralves, ou irem à Casa da Música, ou visitarem o Jardim Botânico, onde viveu o escritor Ruben A. e a sua prima Sophia de Mello Breyner."
Eu nem sabia deste parentesco!

Saudacoes de um Düsseldorf gélido, mas festivo!

Fátima André disse...

Teresa, sei muito pouco sobre a autora. Encontrei-a recentemente num site de poesia "AS TORMENTAS". Não tem a biografia disponível, mas tem dezenas de poemas muito bonitos e expressivos. Não sei se passa o link, mas aqui fica.

http://www.astormentas.com/poemas.aspx?t=autor&id=Angela%20Santos&tp=

Caso não passe pode clicar sobre o nome da poetisa e fazer pesquisa no respectivo site.

Obrigada pelas sugestões, suas e da Isabel :)