sexta-feira, 4 de julho de 2008

Tempo para homenagear


Palavra

Palavra que tudo encerras
Palavra que és vazia
És somente uma palavra
Donde te vem tudo isso
Força, fraqueza
És somente uma palavra
Amor e ódio
Amigo e inimigo
És somente uma palavra
És palavra na caneta do poeta
És palavra na boca do cantor
És somente uma palavra
Constróis e destróis
Crias heróis e os derrotas
És somente uma palavra
Limpa e suja
Sublime e mesquinha
És somente uma palavra
Choras e ris
Transmites sentimentos
Uns fortes, outros não
És somente uma palavra
Os teus amigos, são palavras
Iguais a ti
Que dançam e brincam
A teu lado
És somente uma palavra
Na boca da criança te constróis
Na do adolescente te revoltas
Na do velho vais sumindo
És somente uma palavra
Connosco nasces, vives e morres
Até ao último suspiro
És somente uma palavra
Donde te vem tanta força
És somente uma palavra

Isabel Cabral

1 comentário:

titofarpas disse...

Lindos poemas...
Muitos parabéns.
Bom fim de semana