sexta-feira, 6 de junho de 2008

A PALAVRA DO LEITOR II

ACTUALIZAÇÃO




“As décadas vão passando, ao sabor do vento.
As mentalidades mudam.
Mas eu quero Acreditar que as ideias, as boas ideias ficam, e se enriqueçam SEMPRE, SEMPRE para a frente, mas que não descaiam como as mochilas, nas costas dos meninos”.
Isabel
*******
“Essa imagem fez-me sorrir imediatamente. Insiro-me na 3ª etapa. Já levava os meus 7kg nas costas para a escola.
Mas a questão que lhe quero por é a seguinte: o conhecimento que faz pesar as malas, chega a pesar no cérebro?
Muito do que sei não aprendi na escola. É verdade! Sempre odiei que me impingissem conhecimento. Contudo, foi lá que "aprendi a aprender"; aprendi a conviver com várias classes de pessoas; sofri nas mãos de "bullys" que me "empurraram" para a biblioteca e que me fizeram a pessoa ávida de conhecimento que sou hoje.
Vir dum país extraordinariamente rigoroso e severo em termos políticos, sociais e educativos como a África do Sul, para um país onde os alunos tratam os professores com desrespeito foi um choque incomensurável para mim. Mas mantive o meu respeito pela docência e reitero que, a meu ver, é das profissões mais humanas e dignas de respeito.”
Renard

*******
“Em todas as gerações aí estão os jovens: Cada qual ao seu estilo, no seu jeito e com as suas "modas". Mas o importante é que eles encontrem a direcção certa, à procura do sentido da vida e levem sempre na bagagem uma grande dose de esperança e optimismo. E caminhem sempre em frente.”
Raul
*******
A todos o meu muito obrigada pela vossa colaboração. Espero que as vossas partilhas sejam incentivo a que outras pessoas, em outras ocasiões, partilhem também as suas opiniões, conhecimentos... "Porque depois de se Saber não se pode Ignorar" (CC).
(Renard, coloquei a negrito frases tuas porque me dizem muito. Em breve escreverei sobre esses temas).

2 comentários:

RENARD disse...

Queida Fátima:

Das coisas que mais me orgulho é da minha educação. Atenção, não me refiro à instrução. Existem muitos instruidos que não são educados!
A educação que tive em casa em conjunto com um início de vida escolar, um pouco "militarizada" é certo, fizeram-me uma pessoa com valores e moral muito vincados.
Por isso sofro na geração em que me insiro. Por isso procuro pessoas mais velhas com quem falar e me sinto confortável na nossa "tribo".
Muita vezes me sinto desenquadrada do meio que me envolve por ver acções totalmente irresponsáveis e a perca de respeito entre pessoas.
Porém sempre tento incutir ideias mais humanas nos meus amigos e digo sempre que antes de agirem devem pensar como se sentiriam se fossem eles no lugar do outro. É o ínfimo contributo que dou para que a decência e o amor ao próximo não seja subjugado pelos interesses pessoais e o egoísmo.
Ás vezez resulta, outras vezes as pessoas voltam-me as costas...
Preciso e quero mudar muito em mim mas o meu amor por todos os seres por igual não deixo que toquem e por muitas costas que se voltem é uma característica que jamais abandonarei!

Saudações tribais

Beijo

Fátima André disse...

Obrigada pela tua partilha com a qual comungo.
Não abdiques dos valores que te foram incutidos só porque não estão na moda. Pelo que descreves, estás no bom caminho. Terás sempre um Principezinho á tua espera.
Quando precisares, quiseres e tiveres vontade podes escrever-me. De vez enquando vou encontrando umas mensagens interessantes (posso enviar-te) acho que te podem ajudar nesse caminho de libertação interior.
O endereço está na página, mas aqui fica ele:

revisitaraeducacao@gmail.com