terça-feira, 17 de junho de 2008

Novo? Paradigma das Necessidades Educativas Especiais (NEE)

Do mais recente e alargado (Nacional) Encontro Temático sobre Educação Especial realizado em Lisboa no passado dia 7 de Junho, deixo aqui algumas notas (links) para leitura. É apresentado o novo CIF (nem sei bem com quantos anos, mas enfim) e os novos desafios para as escolas, para os profissionais especializados, para as famílias e para outros técnicos envolvidos (psicólogos, médicos especializados, etc.). Esperemos que seja um trabalho articulado e congruente!

As comunicações do Encontro Temático – Educação Especial já estão disponíveis on-line no site da Direcção Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular. Ainda não tive a oportunidade de ler e não será para breve com o encerramento do ano lectivo à porta. Tenho estado atenta à discussão da temática no meio em que movo pela inerência dos cargos pedagógicos que desempenho e, também, pelo feedback que me vai chegando dos colegas que desempenham funções na área. E devo dizer que estou um pouco apreensiva com a implementação do dito paradigma. Assim de imediato, já são visíveis resultados a nível da burocratização. Lá isso não há margem para dúvidas, os colegas da área andam todos num corropio com a fase de transição (papel + papel + papel...). Quanto ao resto não me vou pronunciar sem conhecer, aprofundar e acompanhar devidamente o processo, pelo menos durante um ano lectivo. Depois desse tempo julgo que estarei em condições de fazer uma apreciação/avaliação mais sólida do mesmo.

Para os interessados, aqui ficam os respectivos links das Comunicações do Encontro (do site da dgidc):

Escola inclusiva e a educação especial – Luís Capucha, Director-Geral da DGIDC

Indicadores para o desenvolvimento da educação inclusiva na Europa – Mary Kyriazopoulou e Harald Weber, European Agency for the Development in Special Needs Education

A CIF – CJ e os direitos das crianças: Uma linguagem comum para a educação especial - Rune Simeonsson, Professor e Investigador, Universidades North Carolina e Jonkoping

A utilização da CIF-CJ nos Sistemas Educativos: A experiência Suíça - Judith Hollenweger, Investigadora, Departament of Research and Development, School of Education, Zurich University of Apllied Sciences

A formação dos profissionais para a utilização da CIF-CJ - Manuela Ferreira, Professora e Investigadora, Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico do Porto

A CIF–CJ na articulação entre serviços - Filomena Sousa, Professora de Educação Especial, EB 2, 3 de Maceira


A aplicação da CIF-CJ no processo de inclusão de crianças com necessidades educativas especiais: Uma experiência Italiana - Gianni De Polo, Médico especializado em Neuropsiquiatra e Medicina Física e de Reabilitação, “E. Medea” Scientific Institute Conegliano Research Centre

O trabalho da Agência Europeia - Cor Meijer, European Agency for the Development in Special Needs Education

Sem comentários: