domingo, 29 de junho de 2008

Hora da Poesia


Porque

Porque os outros se mascaram mas tu não
Porque os outros usam a virtude
Para comprar o que não tem perdão.
Porque os outros têm medo mas tu não.

Porque os outros são os túmulos caiados
Onde germina calada a podridão.
Porque os outros se calam mas tu não.

Porque os outros se compram e se vendem
E os seus gestos dão sempre dividendo.
Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos
E tu vais de mãos dadas com os perigos.
Porque os outros calculam mas tu não.

Sophia de Mello Breyner Andresen
Imagem: [aqui]

4 comentários:

Maria do Carmo Cruz disse...

Fátina, os poemas são lindísimos e gostei de os reler. A foto do Retiro, é fantástica de emoção. Obrigada pela partilha. Beijo. Avó Pirueta

Teresa disse...

Um poema da grande SOPHIA - também tripeira - e uma imagem soberba foi um balsamo para a minha tristeza.
Que bom temos amigos na blogosfera.
Mil bj*****************************

Teresa disse...

Depois de escrever este comentário, fiz clique no aqui, e apareceu-me um blogue maravilhoso.
Vou passar esta tarde de domingo a le-lo.
Santo Deus, as coisas fantásticas que a Fátime descobre.
Estou-lhe grata.

Eu ainda nao consigo nada com este clique aqui no meu blogue, mas se corregarem o nome todo também aperece.
Mil beijinho para a pessoa que me salvou o domingo.
Quem é este profeta?

Fátima André disse...

Teresa,
Não tem nada a agradecer-me.
O bem que fazemos aos outros retorna a nós em dobro.
O Profeta é um poeta :)