domingo, 8 de junho de 2008

Hora da Poesia

O prazer da osmose


o corpo todo a dizer, a interpretar, a escutar
o diferente
e em embrião igual

o prazer da osmose
para além da pele
nos lugares do segredo

uma transfusão de sangue
a tecer parentescos
de alma

por dentro das palavras
os gestos, as interrogações, os esboços
a construir confianças, dúvidas, procuras

o agora a visitar o antes
e a projectar-se no depois
e no depois do depois
Ana Viana, In Femininos Singulares

2 comentários:

Teresa disse...

Que boa fotografia. A Ana Viana nao sei quem é. Dos novos autores portugueses nao conheco ninguém.

Continua pelo Alentejo? Nunca estíve aí. No Algarve estive uma única vez, e tinha o meu filho um ano e meio.

Bem, Lisboa conheco mais ao menos. O meu pai era de Lisboa. Tenho aí tres primos e uma prima.

Desejo-lhe uma boa noite.
:):):)

Fátima André disse...

Ana Viana, conheço-a pessoalmente. É entre muitas outras coisas, pintora e professora universitária. Tem vários livros de poesia editados. O 1º livro é de 1997, intitulado "Mundo Entretecido". É um dos livros que mais aprecio. Não tem uma escrita de fácil acesso. É mais para o complexo. Mas gosto.
Vou ficar no Alentejo até 4ª feira. Tenho a minha mãe adoentada.
Bj*****