quinta-feira, 19 de junho de 2008

Família, doce Utopia

4 comentários:

Raul Martins disse...

Imensa é a minha gratidão por este padre que me convertou com as suas canções. Depois da morte do meu pai, andei desligado de Deus. Foi um concerto que ele deu em Lisboa, na Sé, que me fez reencontrar com Deus e comigo.

Fátima André disse...

Curioso, não o conhecendo eu pessoalmente, teve também um papel muito importante na minha caminhada.
"Oração pela Família", é a canção da minha vida. Encenei-a no Centro Pastoral Paulo VI em Fátima, no Ano Internacional da Família em 1994.
É para lá que vou de seguida para me reencontrar...
Bom fim de semana ;)

Raul Martins disse...

Bom reencontro no regaço da mãe. São muitas as que eu gosto do Padre Zézinho. Ouço-as consoante as necessidades e o momento.
.
Carpe diem!

Teresa disse...

Nao conheco o Padre Zézinho, vi-o
neste vídeo pela primeira vez.
"Família, doce Utopia". Que certo!
Utopia também é um casal estar à varanda de maos dadas a olhar um para o outro.
No meu caso, nao é culpa da TV.
Eu saio quase todas as noites: teatro, opera, círculo literário, etc. Hoje assisti a um concerto de Bach numa igreja linda e com uma Nossa Senhora Preta. Uma amiga minha faz parte do Coro da NRW.
O meu marido, uma jóia de pessoa, nao tem o mínimo de interesse por estas coisas... pelo futebol também nao.
Somos um casal feliz, apesar de estarmos muito pouco tempo juntos.

Desejo-lhe um bom fim de semana. Amanha chega a nossa Ema de Portugal. O meu marido teve mais saudades do que eu.

Um grande abraco de Düsseldorf!