segunda-feira, 12 de maio de 2008

Sobre os Erros e o Perdão

Nunca perco uma oportunidade para (re)contar aos meus alunos a história da folha amassada. Ou porque o tema o permite ou por alguma situação de conflito que é desencadeada. Estou a ver a imagem das suas mãozinhas a amassar uma folha lisa e bonita, que lhes peço para "arrancar" dos seus cadernitos ou dossier. Alguns até me dizem “Professora vamos estragar papel?”. Pois não, estou sempre a ditar palavras de ordem "reclicar", "reaproveitar", "reutilizar", "poupar"... E eu respondo-lhes: “Aqui nada se estraga, tudo se transforma, até o nosso coração”. E explico-lhes o significado de cada gesto, do amassar da folha (a mágoa e as marcas deixadas no coração das pessoas), à tentativa de alisar a folha, muitas vezes sem grande sucesso (o procurar remediar os erros ou a maldade, o perdão). A ponte com as nossas vidas. Talvez nem todos sejam igualmente tocados pela intensidade e profundidade da mensagem, mas a imagem da folha amassada há-de perpetuar-se na memória… um dia essa semente há-de brotar, crescer e dar fruto. Eis a minha esperança!

6 comentários:

Raul Martins disse...

Inspiras-te com este texto. Rabisquei à pressa uns quantos sentimentos a partir desta tua reflexão. Vou postar amanhã. Obrigado por mexeres com as nossas vidas. Nós já sabemos tudo isto mas é sempre bom pararmps para reflectir e orientar o nosso norte.
Carpe diem!

Raul Martins disse...

Inspiraste-me, quero eu dizer!

Soube há pouco... Faleceu Irena Sendler... Foi no teu "moralitos" que a conheci.

Carpe diem!

BC disse...

Boa noite Fátima!
Esse texto está muito bem elaborado
faz-nos pensar, uma folha de papel
machucada, podemos pensar em muita coisa. Deixemos a imaginação fluir!
Sorriso para si...

Carmo Cruz disse...

Querida Fátima, ainda bem que ergues o teu facho de Fé bem alto. É também o teu dia, porque o teu nome tem raízes e reflexos muito para além dos sons com que o pronunciamos. Peço à Senhora, tão simples, tão calada (OS Silêncios de Maria), ela que tudo guardava no Seu coração, que te faça sentir muitas, muitas vezes, tão feliz como te sentiste em Fátima.
Um beijo da Carmo

Carmo Cruz disse...

Não consegui inserir o comentário acima natua entrada sobre o Mês do Amor, não sei porquê. A Net aqui tem truques... Beijo, Carmo

Fátima André disse...

Carmo, está explicado o problema. Eu ainda estava a editar a mensagem quando a Carmo tentou enviar o comentário. Entretanto apaguei aquele post, reeditei-o e o seu comentário perdeu-se. No entanto ele caiu na minha caixa de correio. Recuperei-o e consegui colocá-lo no post de N. Senhora.
Um bejinho grande para si :)