sexta-feira, 30 de maio de 2008

Hora da Poesia I

Antecipando um pouco a rubrica que aqui é dedicada semanalmente à poesia, e porque está a finalizar o mês de Maio, envolto de um grande simbolismo maternal, começo por postar um entre outros poemas dedicados a todas as mulheres e mães. Uma singela homenagem. Àquelas que são mães físicamente e também a todas as outras que o não são, mas tornaram-se mães afectivas das mais variadas formas. Entre estas mulheres, estão na primeira fila, a minha mãe, todas as mulheres da minha família, as minhas amigas, hoje, especialmente, a minha querida amiga Mariana que festeja o seu 5...? aniversário (desculpa, sei que já não fazes anos :), o tempo aí no Alentejo parou e tudo é bem mais sereno).
E porque os últimos, por vezes, são os primeiros, relembro uma pessoa especial que não fazendo anos, celebra hoje o dom da maternidade. Escrevo o teu nome no meu coração ao qual anexo um desejo: Que Deus te abençoe e cumule de bençãos os teus filhos.

"Nossa Senhora do Sorriso Lindo"

Inventei-te. Fui eu que te criei,
minha Nossa Senhora do Sorriso Lindo,
minha flor, minha flor, de tamarindo.
só tu me dás a mão
quando no mar da vida
me faltam forças já pra navegar.
Só tu, Senhora minha, me sorris,
seja partindo ou vindo
do meu mar.
Contigo sou, comigo és, Senhora,
minha Nossa Senhora do Sorriso Lindo,
minha flor, minha flor de tamarindo,
sorriso de quem sofre e de quem chora,
farol do marinheiro naufragado
que se arrasta, perdido, só,
pelo convés do barco destroçado,
que, embora abandonado,
sente que pode rumar
o gurupés da esperança
no sonho que não morre
nem se cansa.

Mariano Calado
Imagem: Quadro de Gustav Klimt - Mutter mit Kindern (Mãe com os Filhos)

7 comentários:

BC disse...

Fátima!
Não tenho palavras,o meu obrigada,
o obrigado do DIOGO,porque o dia hoje é dele, apesar de ser também um bocadinho meu e do pai...!
O obrigada da "NOSSA SENHORA DO SORRISO LINDO", e do meu pai.
OBRIGADA
:) :) :)S
Isabel
OS SORRISOS VÃO-SE CULTIVANDO!!!

BC disse...

Esqueci-me de uma coisa, também o meu muito obrigada à Teresa de d'Orf, pela imagem, e mais uma vez também a si!!!
Os meus sorrisos para as duas.
Os olhos castanhos estão de facto a brilhar...

Teresa disse...

Bom dia Fátima:
Fez-me bem entrar aqui, estava tao triste. Bem, hoje de tarde vou com uma amiga ao museu do cinema ver uma esposicao sobre a Romy Schneider.
Que poema tao belo. Quando for aí, o que está para breve, vou à minha livraria peocurar as obras do Mariano Calado.
Que alegria ver aqui o quadro, e as gaivotas também vao um dia.
Técnicamente falhei completamente ao querer tirar os espacos brancos:
o vídeo e o quadro desapareceram,
e os espacos ficaram.
Os "tres" sao: a Fátima, a Carmo e o Raúl, pessoas que admiro, precisamente por eu ser tao diferente.
Hoje à noite vou a Duisburg ouvir um jovem autor alemao. Quando regressar cá me tem.

Um beijinho de um Düsseldorf cinzento!
Quanto à homenagem a Torga, da música nao gosto, mas pensei que as passagens eram do Alentejo.
Agora ponho no blogue demasiados videos, mas é para praticar.

Fátima André disse...

É verdade Teresa, o poema é lindo. Foi a Isabel que mo emprestou. Com ele e com a sua imagem, uma homenagem a todas as mulheres.

Quando vier a Portugal diga com antecedência, certamente que o grupo dos três ou mais lhe queiram preparar uma surpresa :)

Minha querida, as imagens do vídeo não são do Alentejo. São paisagens do Norte, zona da naturalidade de Torga (S. Martinho da Anta, perto de Vila Real). Não conheço a zona, mas penso que o rio que se vê nas imagens é o Rio Douro. Belas paisagens!

Obrigada pelas palavras de apreço que me dirige. Espero dar conta do recado para merecer sempre o seu respeito.
Um beijinho :)

Maria do Carmo Cruz disse...

Meu Deus, Fátima (juro que não O estou a invocar em vão!), este é mesmo um momento certo para eu sentir a tal "inveja santa" de que falo às vezes! Senhora da Flor de Tamarindo! Ai que bom! Fui criada debaixo de um tamarimbeiro (ou tamarindeiro) que precisava de 5 homens de braços unidos para o rodearem, no musseque Marçal. Já o procurei e soube, com lágrimas, que tinha sido deitado abaixo para queimar a madeira e para construir uma casa no seu lugar. Morreu útil, como sempre viveu. Adoro tamarindos ou tamarimbos e tenho sempre aí em casa, em Portugal, pasta de tamarindo para quando me apetece cozinhar um prato mais fora da Europa. Sou a Senhora da Noite (para os meus Alunos dos cursos nocturnos), também adoro ser Irmã ou Mãe Embondeiro, mas SEI que Nossa Senhora sorri quando alguém a chamar "Senhora Flor de Tamarindo.
E o meu velho tamarindeiro deve estar feliz por o pai da Isabel lhe ter dado a honra de ser usado para invocar a Mãe das Mães.
Obrigada, Fátima, pelo fim-se-semana de uma espiritualidade tão simples e profunda, ao mesmo tempo. E a todos os que, nesta Teia de Amor, se estendem as mãos e se tocam como Homens e Mulheres de Fé e Boa Vontade. Mesmo os que dizem que O perderam... Podem tê-Lo perdido, mas Ele os achará, não achas? Um beijo Amigo da Carmo

Fátima André disse...

Querida Carmo, as suas palavras só fazem sentir que sou pequenina e frágil como o barro do oleiro. Só partilho o que outros partilharam primeiro comigo. Não é nenhum feito. Nada é meu, nem o conhecimento, nem as palvras... nem os bens materiais me fazem sentir importante. Nada me pertence, só o tempo que gasto as pessoas me faz Feliz. Aqui estou com pessoas, mesmo por vezes distante da cidade, do movimento, dos rostos.
Obrigada pelas palavras que tanto me sensibilizaram. Obrigada, de coração. Lembrei-me de uma pessoa por quem nutro uma admiração profunda e que costuma dizer "Porque depois de se Saber não se pode Ignorar", conhece?
Um caloroso abraço e façam-me o favor de não me mimar demasiado porque os meus olhos castanhos não podem ficar tantas vezes molhados.
:)

Fátima André disse...

Claro que acho, Carmo. Foi Ele que me acho perdida com 23 anos e nada reclamou de mim. E ainda continuo por vezes a fugir d'Ele. E Ele AMA-ME com a mesma intensidade como no primeiro momento.