sábado, 10 de maio de 2008

Hora da Poesia II

Este pedacinho de poesia pode percorrer o mundo, mas vai direitinho a Dusseldorf, Alemanha. Lá onde a minha querida Teresa sente saudades de Portugal e da sua língua materna. Por isso nada melhor do que brindá-la com um pedacinho do mais primoroso que a Língua Portuguesa contém.

OS LUSÍADAS – CANTO I

[…]
4
E vós, Tágides minhas, pois criado
Tendes em mi um novo engenho ardente,
Se sempre, em verso humilde, celebrado
Foi de mi vosso rio alegremente,
Dai-me agora um som alto e sublimado,
Um estilo grandiloco e corrente,
Por que de vossas águas Febo ordene
Que não tenham enveja às de Hipocrene.

[…]

Luís de Camões, In Os Lusíadas (edição organizada e anotada por Reis Cabral, Lisboa: Editorial Minerva (2ªed.), 1972.
Imagem: Tágides [aqui].

6 comentários:

Teresa disse...

Minha muito querida amiga:
Estou tao comovida que nao tenho palavras. Se houvesse mais estrelas, mais estrelas dava.
Para mim há dois deuses no céu da literatura portuguesa: Luís de Camoes e Eca de Queiroz.
Tenho os meus olhos tao molhados, Fátima, que nao posso escrever mais.
Milhoes de beijinhos.

Fátima André disse...

Teresa,
Fico muito feliz por saber que gostou.
Um grande sorriso par si e um abraço afectuoso :)

Fátima André disse...

E... quase me esquecia. Feliz dia da mãe!

Anónimo disse...

Querida Fátima:
Obrigada por me desejar um feliz dia de mae. Nao festejei com os meus filhos, porque fui assistir em
Bonn a uma conferencia sobre a Sicília. Interessante, mas com tanto calor só apetece ir nadar.
Amanha, aqui também é feriado: é a segunda-feira de Pentecostes.

A Fátima visitou o "Devaneio da batata" da Mariana e do meu neto.
No entanto o meu blogue preferido é o Janelar. Já que gostou da história mande, por favor, directamente os elogios para o blogue dele.

Fátima André disse...

Com imenso prazer. Já deixei também uma marca no Janelar.

Bom feriado :)
Um abraço.

Teresa disse...

A Fátima compreendeu que o comentário anterior é meu. Estava a escrever-lhe quando tocou o telefone, e com a atrapalhacao nao acabei de escrever, e o que eu tinha escrito desapareceu, mas afinal chegou anónimo.
A minha amiga Waltraud telefonou-me encantada com "Beijo de Mae".
Uma amiga da minha filha, até me telefonou para o telemovel quando estava em Bonn, também seduzida pela história.
Estou muito contente por os meus amigos alemaes veram como temos jovens talentosos. Este Afonso é uma promessa.
Boa noite e um grande beijinho pela surpresa hoje de manha.