quarta-feira, 28 de maio de 2008

Do efémero


Sobre o tema a que alude o cartoon, as relações humanas e, particularmente, sobre o relacionamento conjugal, deixei aqui há dias a referência a uma leitura que recomendo vivamente – Amor Líquido de Zygmunt Bauman, 2003, da Relógios D’Água Editores.

6 comentários:

Teresa disse...

Boa tarde Fátima:
O quadro de Gustav Klimt chama-se:
Mutter mit Kindern
Mae com os filhos

Ando obcecada em por coisas novas no meu blogue, mas nao sei porque acaba de me desaparecer uma parte dele. A pergunta é: no seu computador também é assim.

Nao puder mandar @mails tem a ver com o "server",pois cometi um erro, mas nao sei qual.

A propósito "do efémero" hoje o meu blogue também é assim. Mas eu precisava de mudar de tema: morte, mae, tristeza.

Beijinho!

BC disse...

Parece-me que na generalidade será assim,está bem apanhado.
Mas nem todas as relações são iguais.
Pode haver crises, mas há que saber ultrapassá-las, existem coisas importantes que ligam as pessoas.
Mas cada casamento é um casamento....só cada um é que pode saber.
Nestas coisas tenho dificulade em comentar, entre adultos as pessoas que se entendam,também existem coisas graves, e aí não há remédio,se existem outras coisas é com cada um!!!
As relações humanas são complicadas.Tem que haver muito sol todos os dias para fazer brilhar uma relação e o sol anda por aí basta olhar para os filhos...!
Um beijinho

Fátima André disse...

Teresa,
obrigada pela referência.
É verdade o seu blog está com umas brancas :)
Aqueles espaços em branco devem ser eliminados, se conseguir. Volte a editar mensagem e selecione o espaço que tem em branco e faça DELETE.
Quanto ao vídeo, vejo das "Estrelinhas", vejo que tentou apagar, mas não ficou complectamente apagado o código, por isso aparece ainda qualquer coisa estranha. Volte lá, apague tudo e cole de novo o código do vídeo. Penso que é mais fácil assim.
Quanto ao resto, já percebi que está com problemas no seu email uma vez que não me respondeu a qualquer mensagem que lhe enviei. Não se preocupe. Quando estiver tudo a funcionar bem eu volto a enviar-lhe as minhas anotações.
Um beijinho.

Fátima André disse...

Isabel,
Não é verdade, não podemos generalizar (eu coloquei a imagem porque lhe achei uma gracinha e para alertar para o problema), digamos que é uma tendência que se vem agravando nas últimas décadas. Como diz e muito bem as relações são diferentes e os obstáculos fazem parte do caminho. Embora o alimento diário seja esse Sol que por aí anda escondido :)
O tema da família é um tema que me apaixona por motivos vários que não vou expor aqui, mas espero em breve voltar a escrever sobre o mesmo.
Até breve :)

BC disse...

Eu também acho precisamente que não podemos generalizar, por isso disse que cada caso é um caso.
Acho importante focarem-se estas coisas, pois acho que são um cancro
da sociedade de hoje.
Podem existir muitos factores para as separações, e serem os motivos todos diferentes.....
Mas que existem, existem!!!

Fátima André disse...

Isabel,
Eu percebi, claramente a sua mensagem. Apenas quis reforçar a ideia de que não é tudo mau nem assim como no cartoon. Não podemos é continuar a fingir que as separações são normalíssimas e que nã otem nada de mal. Tem e afecta muito o crescimento harmoniso de qualquer criança... para além de acarretar outros problemas por vezes gravíssimos. Sabe que coisas tão "simples" como esta (bem complexas do meu ponto de vista) afectam o normal rendimento escolar das nossas crianças? E muito nalguns casos. Todos sabemos disto. Há estudos e andamos a fingir que não sabemos ou andam a atirar-nos areia para os olhos (como por exemplo um estudo recente feito salvo erro no Reino Unido) que diz que as crianças pobres são menos inteligentes que as crianças ricas. Que estupidez acérrima".
Coitada de mim, se isso fosse verdade eu nunca tinha feito uma licenciatura, pós-graduação, mestrado e ainda ando a estudar, veja lá... Será por "burrice"???