terça-feira, 1 de abril de 2008

Predisposição ou uma questão de educação?

Capacidades precoces
Quando aprendemos a distinguir o certo do errado? Qual o papel da formação e educação na nossa estruturação de valores? Sendo seres profundamente sociais, os membros da nossa espécie necessitam de aprender rapidamente o que fazer ou não e com quem estabelecer cooperação. Será possível que já nasçamos dotados de um conjunto de regras simplificadas que serão posteriormente modeladas e ajustadas? Ou tudo resulta de um longo processo de aprendizagem social?

Uma investigação recente com bebés de 6 e 10 meses, publicada na Nature em Novembro último, revela que algumas capacidades de avaliação social estão instaladas tão precocemente como os seis meses de vida. Tudo indica, pois, que já nascemos dotados de algumas capacidades de avaliação social.

(...)

[leitura integral] Por Paulo Gama Mota, 31.3.2008

Notas: Devo confessar que os resultados da supramencionada investigação me causam alguma perplexidade. Não conheço profundamente o estudo e os resultados apenas contactei com eles pelo artigo do Professor Paulo Gama Mota, mas não me convenceram a mudar de opinião: estou em crer que as investigações que apontam a educação, a formação humana em valores, a transmissão e ensino de valores em casa e na escola… apontam o caminho e são um indicador mais fiável.

Sem comentários: