quarta-feira, 23 de abril de 2008

Inquietações Pedagógicas

Nada é impossível de mudar


Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo. E examinai, sobretudo, o que parece habitual. Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural nada deve parecer impossível de mudar.

B. Brecht

4 comentários:

Rosa Silvestre disse...

Olá, este blog é um blog muito bom, sim senhora, por isso merece um prémio do Criancices. RS.

Fátima André disse...

Rosa,
Muito obrigada pela simpatia do gesto de nomeação do "Revisitar a Educação" para tão distinta 'categoria'.
Vou colocar o selo no blog e trato das nomeações no próximo fim-de-semana...
Um abraço.
:)

Carmo Cruz disse...

Fátima, com a autoridade de Bertolt Brecht a dizer-nos coisas aparentemente paraadoxais, não podemos desmobilizar: Não é imposível mudar.Nem nós, nem as coisas que fazemos,nem o mundo em que vivemos. Importa mudar o que está mal, não importa o que, não importa quem, (todos nós)não importa o onde,(em todo o lado onde o Mal aconteça). Mas importa o como: não podemos usar o Mal para o mudar. E o quando também não importa, porque só pode ser JÁ e SEMPRE que for preciso.Mudar para melhor - eis uma divisa tão simples e tão poderosa!Um abraço, Carmo

Fátima André disse...

Tem razão, Carmo... aparentemente paradoxais. Por isso é que as palavras exigem concentração, leitura, releitura, reflexão, interiorização... mas transformam-nos interiormente se nos deixarmos moldar (como o barro do oleiro) pelo seu valor intrínseco, pela profundidade dos significados... e a obra pode ser magnificamente bela, fascinante.
Obrigada pelas suas palavras.