quarta-feira, 9 de abril de 2008

De manhã verdade, à tarde mentira


Também lá se podem encontrar, as FICHAS E REGRAS PARA A APLICAÇÃO DAS PONDERAÇÕES E DOS PARÂMETRO CLASSIFICATIVOS. São nada mais, nada menos 25 anexos de fichas e respectivas ponderações. Não há cabeça que aguente tanta concentração...

Só ainda olhei com alguma atenção a ficha do PCE e tem alterações substanciais em realção à anterior, o que significa que muito trabalho que os PCE tiveram até aqui... é para deitar para o lixo... Levanta-se uma questão: e aquelas escolas que já aprovaram os seus documentos internos e até já estão a implementar o processo de avaliação e por isso, já deram a conhecer aos docentes os instrumentos de avaliação? Vão agora mudar as regras do jogo? É no que dá as pressas dos orgãos de gestão andarem a mostrar trabalho à Srª Ministra.

Se tiver tempo, lá para as férias de verão, vou olhar com atenção as ditas fichas... (daqui até lá ainda vão sair mais uma dúzia de despachos e mais umas grelhazitas novas) não vale a pena perder mais do meu tempo, o tempo dos meus alunos e o tempo da minha família com tanta trapalhada. A tutela não sabe o que quer, ponto final. Permanece-me uma dúvida: onde cabe a qualidade do ensino, o verdadeiro sucesso educativo, os interesses dos alunos, e o desenvolvimento pessoal e profissional do docente?

Vejam lá se decidem o que querem, testem, avaliem e alterem tudo o que tiverem para alterar e depois digam às escolas: vamos começar...

Até lá, tenho outros assuntos muito mais importantes para escrever aqui neste espaço. A avaliação de professores não é o centro da escola e não pode desviar a atenção do que realmente é sua função e o seu centro, ou seja, os alunos, o ensino e as aprendizagens, o resto são acessórios e trivialidades.

Sem comentários: