sábado, 9 de fevereiro de 2008

Urgente repor a justiça


O Ministério da Educação não tem alternativa senão abandonar o seu habitual discurso autoritário e de desrespeito pelos professores. Nem especialistas na Área das Ciências da Educação, nem a própria Justiça, pactua com medidas tão liminarmente absurdas, não se percebendo o sentido e a oportunidade de impor à pressa mudanças profundas que exigiriam, na melhor das hipóteses, um timing para estudo, formação, debate, interiorização, preparação do terreno… isto, se o objectivo é mesmo melhorar os processos e os resultados…
Vale a pena ler duas notícias de última hora sobre as medidas mais polémicas em matéria de educação a que esta tutela quer submeter as escolas e os professores, sem qualquer negociação – A avaliação do desempenho docente e o regime de autonomia e gestão das escolas. Vejamos:

Tribunal aceita acção para travar a avaliação docente
Sobre a avaliação do desempenho docente.

Escolas recebem uma autonomia sob suspeita
Sobre o novo regime de autonomia e gestão das escolas. A opinião do Professor João Barroso.
Imagem: DN online

Sem comentários: