sábado, 15 de dezembro de 2007

Big Brother à portuguesa

Ontem dei com uma votação que está a decorrer on-line (não anotei e esqueci-me do sítio, mas logo que a encontre actualizo esta notícia e coloco um link para a respectiva) sobre a opinião dos cidadãos quanto à utilização de vídeo-vigilângia. As hipóteses de resposta eram apenas três: (1) Sim, concorda de forma generalizada; (2) Não concorda; (3) Concorda, mas só em locais de grandes índices de criminalidade.

Digo-vos, eram assustadores os números das votações. A esmagadora maioria das pessoas concorda que a vídeo-vigilância seja uma medida governamental generalizada.
Mas em que país vivemos nós? Será que vamos ter cidades e aldeias em permanente 'Big Brother'???
E onde cabe a nossa privacidade???

O Big Brother já não é uma figura de estilo, nem um programa de entretenimento, ou coisa do século passado, converteu-se numa vulgaridade quotidiana. Em pleno século XXI, isto é verdadeiramente preocupante!

O certo é que, sei de fonte segura, o Ministério da Educação prepara-se também para alargar a todas as escolas do país a video-vigilância. Parece ser uma prioridade desta Tutela (a partir de 2008). O que me preocupa ainda mais.

Sem comentários: