terça-feira, 6 de novembro de 2007

A dimensão pessoal de ENSINAR I

O Professor como pessoa

• o professor é o seu próprio instrumento de trabalho

Como é que o professor se compreende a si próprio? Esta é uma questão que abrange as atitudes de um professor face a si próprio, face aos alunos e face à matéria.

Obviamente que o professor exerce uma influência enorme na sala de aula – é ele que faz as regras, organiza a matéria e define os calendários. Essa influência é positiva ou negativa? Torna-se importante analisar as atitudes e percepções do professor para responder às perguntas.

– Natureza do ensino
• disparidade entre mito e realidade
Antes pensava-se que os professores deveriam ser moralmente perfeitos (ou pelo menos transparece-lo). Obviamente que tal feito é impossível na prática, pois os professores são humanos. A imposição deste mito pode levar os professores a sentirem-se frustrados por não corresponderem às expectativas. Isto pode levar à adopção de atitudes eventualmente prejudiciais ao ensino para justificarem o falhanço.

– O currículo oculto
• Frequentemente não tomamos consciência das nossas atitudes nem do modo como estas e as expectativas que criamos influenciam o nosso comportamento.
• Por isso, somos capazes de dizer uma coisa e fazer outra. Esta discrepância designa-se por currículo oculto.
• As nossas atitudes enquanto professores determinam ou influenciam as atitudes que os alunos desenvolvem relativamente à aprendizagem. Os alunos são suficientemente perspicazes para nos “verem” e moldarem assim comportamentos perante as suas interpretações das nossas atitudes.

– O meio e a mensagem
• Definição dos elementos contextuais da comunicação pedagógica: o conteúdo vs. a forma como é dito.

Tal como MacLuhan o autor atribui grande importância ao modo como a mensagem é transmitida na descodificação do significado desta. Contudo não vai ao ponto de dizer que “o meio é a mensagem”, desprezando o seu conteúdo. Acrescenta que a verdadeira mensagem encontra-se no tom de voz, na expressão facial, na postura, ou seja, no modo como é transmitida.

três categorias das atitudes dos professores que importa salientar e analisar:

- Atitudes face ao ensino e à aprendizagem
- Atitudes face aos alunos
- Atitudes face a si próprio


Nota: Cada uma destas categorias irá ser abordada em posts separados.

Bibliografia
Sprinthall, N.A. & Sprinthall, R.C. (1993). Psicologia Educacional: uma abordagem desenvolvimentista. Lisboa: McGraw-Hill.

Sem comentários: