segunda-feira, 5 de novembro de 2007

João Ferreira de Almeida


Passatempo - Transmissão do Património Histórico-Cultural...


Placa comemorativa na povoação de J.F. Almeida - Torres de Tavares, em Mangualde (1981) por ocasião do 300.º Aniversário da publicação da primeira edição da sua tradução do Novo Testamento.


João Ferreira de Almeida

Nascido em 1628, João Ferreira Annes D'Almeida terá ficado orfão em tenra idade, o que o levou a ser entregue a um tio, sacerdote católico romano.

Com o seu tio, a educação do jovem Almeida deverá ter passado por várias disciplinas do saber, entre as quais certamente o Latim que lhe teria sido muito útil na principal obra da sua vida: a tradução da Bíblia para português.

Viveu em Lisboa até 1640 ou 1641 e com apenas 13 anos de idade, partiu para Amesterdão e pouco tempo depois, para o Extremo Oriente.

Já em Malaca em 1624, lê a “Differença da Christandade”, originalmente em castelhano e que ele próprio viria a traduzir para português, acabando por abraçar a Fé Reformada (Protestante) e tornando-se um membro da Igreja Reformada Holandesa, de língua portuguesa.

Viveu em Malaca entre 1642 e 1651, colaborando com a comunidade protestante local através de visitas a doentes, apoio a marinheiros e viajantes que ali aportavam, ensinando as crianças a ler e a escrever, ao mesmo tempo que iniciava a primeira tradução da Bíblia Sagrada para a língua portuguesa. Este notável feito aconteceu quando Almeida tinha apenas 16 anos de idade.

Como meio de preparação teológica, frequentou o Seminário da Igreja Reformada Holandesa, terminando os estudos em 1654 e partindo para o sul da Índia e Ceilão, com a esposa, Lucrécia Valcoa de Lemos e o seu colega Baldaeus em 1656, após 2 anos de estágio. Só regressou à Batávia em 1663, onde foi assumido como Pastor da Igreja Reformada de Batávia, de língua portuguesa, até à sua morte em 1691.

Foi durante este último período em Batávia que Almeida veio a assistir com muita alegria à primeira edição do Novo Testamento por si traduzido para português em 1681. Almeida traduziu ainda a maior parte do Antigo Testamento, já que o seu falecimento o impediu de traduzir o final do livro de Ezequiel, o livro de Daniel e os Profetas Menores. Este trabalho viria a ser completado por um Pastor holandês, Jacobus op den Akker, que havia colaborado estreitamente com Almeida. Com a edição do Antigo Testamento (Tomo I em 1748 e Tomo II em 1753) completar-se-ia a edição da “Bíblia de Almeida”que se tornou na obra literária em língua portuguesa mais divulgada de sempre, um autêntico monumento da cultura e da espiritualidade.

Para além da magistral obra de tradução da Bíblia para português, a maior parte dos escritos de João Ferreira de Almeida são pequenas obras, produzidos nos diversos locais por onde Almeida foi passando.

Almeida foi homenageado pelos cidadãos de Torre de Tavares em 1981 por ocasião do 300.º Aniversário da publicação da primeira edição da sua tradução do Novo Testamento. Em Maio de 2006 a Câmara Municipal de Mangualde homenageou a personalidade e a obra de João Ferreira de Almeida, atribuindo o seu nome a uma rua da cidade.


Notas suplementares sobre a tradução da Bíblia por J. F. Almeida

Actualmente traduzida em mais de 2000 línguas e dialectos, a Bíblia é sem dúvida o best-seller mais vendido em todo o mundo. Desde a tradução de Almeida, cujo grande objectivo era dotar os falantes da língua portuguesa de uma tradução da Bíblia, têm existido sucessivas revisões ao longo dos séculos, para acompanhar a evolução da linguagem.

Actualmente, publica-se uma versão em Portugal, a Edição Revista e Corrigida de 1898 (actualizada em 1968 e 2001) e seis versões no Brasil, duas das quais da responsabilidade da Sociedade Bíblica daquele país, a Edição Revista e Corrigida (1995) e a Edição de Revista e Actualizada (1993). Actualmente optou-se ainda pela marca “Sociedades Bíblicas Unidas”, a qual é distribuída nos países lusófonos, como Angola, Brasil, Cabo-Verde, Guiné-Bissau, Macau, Moçambique, Portugal, S.Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Usa o método de equivalência formal, em que os aspectos lexicais, morfológicos e sintácticos das línguas de origem são reproduzidos no português. O Novo Testamento (NT) foi traduzido primeiro com base no Textus Receptus (grego), com influência do texto latino e das traduções da época em espanhol, alemão, holandês, italiano, francês, etc. O Antigo Testamento (AT) deve ter sido cotejado a partir do hebraico, com consulta a outras traduções e versões já existentes, como a Vulgata Latina e as vernáculas existentes. Actualmente, publica-se em Portugal, a Edição Revista e Corrigida e no Brasil, a Edição Revista e Corrigida (ortografia brasileira) e a Edição de Revista e Actualizada.

(Informações disponibilizadas pela Sociedade Bíblica).

2 comentários:

Charles Mariano disse...

Olá, gostei muito do conteúdo dessa matéria, gostaria de obter uma pintura, retrato, ou foto qualquer que contenha a imagem de João Ferreira de Almeida, achei uma foto que tem uma escultura dele, junto com essa placa da foto, mas gostaria de um retrato de preferência, se puder me ajudar, fico grato desde já!

Graça e paz...

Fátima André disse...

Chrarles,
Lamento de momento não conseguir ajudar, mas não tenho nenhuma foto do respetivo autor. Talvez consiga encontrar algum registo no Google imagens. Se encontrar aviso-o. Obrigada pelo interesse!