sábado, 3 de novembro de 2007

Hora da Poesia


Uma luz
Nascida de dentro de nós
A iluminar este fora do tempo
Onde tu e eu nos indefinimos

em gestos quase quietos
sombras de um estremecer
subterrâneo de raízes
num fio de voz
malha singular
tecido ancestral
nós
e dentro de nós a ternura
por dentro da ternura

Ana Viana, In Mundo entretecido, 1997

Sem comentários: