domingo, 24 de janeiro de 2016

A Disléxia explicada às crianças...


Filme completo AQUI  - "Como Estrelas na Terra"

O filme conta a história de um menino e 9 anos chamado Ishaan Awasthi, ele sofre de dislexia, estuda em uma escola normal e repetiu uma vez o terceiro período e está correndo o risco de isso acontecer de novo. O menino diz que as letras dançam em sua frente e não consegue acompanhar as aulas e nem prestar atenção. Seu pai acredita que ele é indisciplinado e o trata com rudez e falta de sensibilidade. 

Quando o pai é chamado na escola para conversar com a diretora, o mesmo decide levar o filho a um internato. O menino fica com menos vontade de aprender e de ser uma criança, ele acaba ficando deprimido, sente a falta da mãe, do irmão mais velho e da vida. A filosofia do internato é "Disciplinar Cavalos Selvagens". De repente aparece um professor substituto de artes, este não era um professor tradicional, não seguia rigorosamente as normas da escola, tem uma metodologia própria. 

Quando o professor conhece Ishaan, percebe que o menino sofre de dislexia e decide ajudá-lo. Este não era um problema desconhecido pelo educador que decide tirar o garoto do abismo no qual se encontrava . Ele ensinou Ishaan a ler e escrever, a partir desse momento o menino vai superando a opressão da família e suas próprias limitações, passa a ver a dentro da escola, um novo significado. O filme mostra a importância do professor e seu poder de transformação nos alunos. É necessário que o educador tenha sua própria metodologia de ensino, de forma a estimular a compreensão dos alunos, tornando a sala de aula, um lugar agradável e estimulante. 

Na escola onde Ishaan estudava, os professores só corrigiam os erros gramaticais dele e não percebiam que ele era uma criança especial, que precisava ser compreendida, e junto com seu professor pudesse ampliar seus conhecimentos, desenvolvendo a habilidade de leitura e escrita. No filme "Como Estrelas Na Terra o professor substituto usa uma metodologia de ensino inovadora, onde existe a motivação, usa o conhecimento de mundo dos alunos, buscando aprofundar e ampliá-los. O educador consegue mobilizar a escola a respeito da diversidade que existe na sala de aula, mostrando que é possível fazer com que o aluno desenvolva sua capacidade de aprendizagem a partir da compreensão e do incentivo do educador. 

O filme mostra uma lição de vida. Um garoto que foi tratado com respeito por um professor, que soube valorizar e entender as diferenças, usa como forma de expressão a arte, incentivando-o e mostrando-o que seu problema pode ser superado e que sua deficiência não o tornava diferente dos outros. A dislexia é um transtorno que está longe de ser solucionado, e o que salvou a criança não foi a descoberta da problemática, mas sim, os novos métodos utilizados pelo educador, fazendo com que o menino aprendesse a lidar com sua diferença. Este filme retrata a realidade na qual vivemos, os alunos com diversas Necessidades Educativas Especiais (NEE) são colocados em escolas de ensino regular e, infelizmente, as escolas e os professores ainda não estão preparados para essa mudança. 

Torna-se necessário que os futuros educadores saibam lidar com esses problemas no contexto escolar, para poder encontrar meios e soluções para trabalhar com esta e as demais problemática destes alunos com NEE.


domingo, 17 de janeiro de 2016

Crianças com NEE - Crianças Sobredotadas


Sociedade Civil (Ver programa)

Crianças sobredotadas, crianças prodígio, são algumas das expressões a que nos habituamos quando alguma criança demonstra "talentos execionais" numa determinada área ou em várias áreas do conhecimento, mas que se distinguem das outras crianças pelo elevado padrão de conhecimento que demonstram possuir para a sua faixa etária.

Uma realidade ainda pouco discutida no contexto educativo português, para a qual as escolas e os professores ainda não estão preparados para dar resposta.

Um programa que vale a pena ver!

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Considerações sobre novo modelo de avaliação das aprendizagens dos alunos do ensino básico

As notas das provas de aferição a realizar no 2º, 5º e 8º anos de escolaridade não vão fazer as parte da avaliação final, logo que utilidade terão? Avaliar as escolas? Avaliar os professores?...
Já se tinha chegado à conclusão, em tempos idos, que não era por aqui o caminho... e que este em nada contribuía para a melhoria das aprendizagens, porque voltamos a insistir no erro? 
É bem de se ver. Vejamos: 
(1) uma prova que é feita na última semana de aulas, que não conta para a avaliação final, quem vai investir numa coisa sem qualquer utilidade? Se ao menos estas provas tivessem um peso de um teste de avaliação como contributo para a nota final, (por exemplo, substituindo no 3º período um desses elementos de avaliação) ainda podia ter algum efeito na preparação para as referidas provas, de outra forma, julgo ser inglória esta panóplia de alterações súbitas e irrefletidas ao modelo de avaliação das aprendizagens que de per si já é um modelo complexo;
(2) transmitir os resultados aos encarregados de educação e alunos através da ficha individual do aluno serve para quê? Quando? Como? Enviado pelo correio nas férias para os pais estudarem com os filhos? ou no início do  ano seguinte? Isto faz-me lembrar os castigos aplicados com três meses de atraso (P: qual o efeito? R: zero).  É este o contributo para a expectável qualidade da educação tão almejada pelo novo ministro da educação? 

É melhor esperamos sentados, porque a ilusão é grande, mas parirá um rato, garantidamente!

(clique na imagem para aumentar)

domingo, 10 de janeiro de 2016

Hábitos, dependência(s)... e consequências


Um excelente vídeo com duas vertentes de debate: (1) a postura e suas consequências; (2) a(s) dependência(s) sem consumo, consequências e a necessidade de terapia.

(1) Importa relembrar que a postura não é apenas influenciada pelo mau uso de dispositivos móveis. Todos os dias nas salas de aula travo uma batalha com este problema da postura, umas vezes com sucesso, outras nem por isso... talvez a imagem possa dar um empurrãozito e sortir algum efeito.

(2) Um complemento de reflexão à mesa infra subordinada ao tema "Gaming (Dependência sem substâncias)"... quando se está no limiar da dependência (vicio) e não se reconhece a necessidade de ajuda... 
Questões centrais:
1 - a fase da adolescência e a busca da autonomia e da identidade, quem sou eu e a necessidade de desenvolver competências sociais  através das redes sociais virtuais entendido pelos mesmos (não é negativa) sendo igual à realidade, ou seja, considerado com os mesmos ganhos estar em interação com a rede num convívio a pares como que fosse na realidade (Galinha, 2015);
2 - quando vamos ver os níveis de ansiedade, de irritabilidade, de stress e cruzar com o sucesso académico, muitas das vezes os jovens questionam-se porque não conseguem atingir determinadas notas nos testes ou nível de concentração... esta questão não é linear, pois o nível de causalidade não é facilmente identificável... daí a complexidade desta análise. Os mecanismos da atribuição (locus de atribuição causal e locus de controle externo) prendem-se com inúmeros fatores, nomeadamente, o poder de decisão, onde é que eu paro de usar... a questão do isolamento social, etc. (Galinha, 2015). 
A questão  é mais complexa ainda, segundo Galinha (2015) antes dos pedidos de ajuda,  ou seja, quando o hábito em si próprio não leva o sujeito a perceber que precisa de ajuda. O facto de não haver consumo de uma substância, não é considerado pelos inquiridos que estão a consumir.
Um dado interessante para reflexão (ver intervenção no link infra).

Ainda neste ponto 2, e não menos importante para a reflexão é que este fenómeno das interações nas redes sociais virtuais não está circunscrito ao mundo dos nativos digitais, os efeitos negativos ou perversos rapidamente contagiaram o mundo dos adultos. Ainda me lembro do auge do jogo do farmvile no facebook (2008/2009) e das inúmeras polémicas à volta desta dependência do mundo virtual dos adultos que até nos locais de trabalho tiveram repercussões que em alguns casos culminaram em despedimentos e, noutras situações, particularmente empresas e entidades públicas tiveram que bloquear a rede social porque muitos dos trabalhadores não resistiam a esta aliciante dependência na hora laboral o que prejudicava o seu rendimento. O jogo tornou-se viral e viciante em todas as classes sociais. Hoje não se fala no farmvile porque são às centenas os jogos online, mas o problema não estava circunscrito ao mundo do trabalho, o ambiente familiar foi sendo fortemente atingido.
A dependência, o consumo não assumido como preconiza Galinha (2015) é o grande problema. O não reconhecimento de que se precisa de ajuda pode conduzir ao deteriorar das relações interpessoais reais, familiares.

Mas nem todas as experiências são negativas, há muitos relatos de sucesso de utilização das redes sociais em contexto pedagógico. A investigação dá-nos contas do lado positivo da utilização das redes sociais em contexto educativo. O caso que me deixou mais apreensiva foi o apresentado em 2012 na COIED na conferência "Learning games  (Game-Based Learning)" onde foi relatada a experiência de uma professora do 1º ciclo que utilizava o jogo do farmvile em contexto de sala de aula para ensinar os alunos conteúdos de matemática (aprender a contar as plantas, os animais...) e também conteúdos de estudo do meio onde trabalhava aspetos relacionados com as colheitas, o nome das plantas, etc. Os métodos e as ferramentas são sempre discutíveis, mas as questões de segurança são as mais preocupantes nestas idades e, estas, não sei se foram acauteladas...

Galinha, S. (2015). Gaming (Dependência sem Substâncias), in 1º workShop Entre Margens - Gaming, Drinking e Cenas, Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Santarém.

Gaming (Dependência sem Substâncias)
https://www.youtube.com/watch?v=WMo1iSrWNnk

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

1º workShop " Entre Margens - Gaming, Drinking e Cenas"

Mesa subordinada ao tema "Gaming (Dependência sem Substâncias)", integrada no 1º workShop " Entre Margens - Gaming, Drinking e Cenas" realizado no dia 19 de novembro de 2015 na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Santarém.


(clique na imagem para aceder ao vídeo)

Todos os Vídeos do 1º workShop " Entre Margens - Gaming, Drinking e Cenas"
P
rodução - Centro Tecnológico da ESES
 
Mesa de Abertura
https://www.youtube.com/watch?v=xRM50jSlkFA

Gaming (Dependência sem Substâncias)
https://www.youtube.com/watch?v=WMo1iSrWNnk

Drinking (Consumo /Abuso de Álcool nos Jovens)
https://www.youtube.com/watch?v=mgnNAFIyfy0

Cenas (Consumo de SPA em Ambiente de Diversão Nocturna)
https://www.youtube.com/watch?v=7Fa59fd6CHU

Sessão de Encerramento
https://www.youtube.com/watch?v=49r4vxnK6Mo

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Hora da Poesia e da Esperança...

Natal Agora

Neste solstício de inverno ele vai nascer

algures no Mundo entre ruínas

no lugar do não ser ele vai nascer

deitado nas palhinhas entre

bombas naufrágios minas

cada mulher que foge o traz no ventre

o mesmo coração um só destino

algures no mundo ele vai ser

em todos os meninos o menino.

(Manuel Alegre, 2015)

sábado, 5 de dezembro de 2015

Hora da poesia

Foto: UNESCO

"Pelo sonho é que vamos,
comovidos e mudos.
Chegamos? Não chegamos?
Haja ou não haja frutos,
pelo sonho é que vamos.
Basta a fé no que temos.
Basta a esperança naquilo
que talvez não teremos.
Basta que a alma demos,
com a mesma alegria,
ao que desconhecemos
e ao que é do dia a dia.
Chegamos? Não chegamos?
– Partimos. Vamos. Somos."
(Sebastião da Gama)

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Congresso “Investigação em Qualidade de Vida, Inovação e Tecnologia”


SUBMISSÃO DE RESUMOS PARA COMUNICAÇÕES/POSTERS: Até 6 de janeiro de 2016 (NOVA DATA).

INFORMAÇÃO DE ACEITAÇÃO: Até 15 de janeiro de 2016.

NOTA:
O LIVRO DE RESUMOS vai ser publicado no dia 10 de fevereiro de 2016 como número especial da Revista da UIIPS (Revista Indexada -http://ojs.ipsantarem.pt/).
Os autores de comunicações e posters que pretendam reverter a sua apresentação em artigo, poderão fazer a sua submissão até 14 de março de 2016. Este número especial vai ser publicado em abril de 2016.

domingo, 22 de novembro de 2015

ISCSP-UL Workshops de apoio ao processo científico

Trata-se de um conjunto de workshops académicos de apoio ao processo científico de investigação e de elaboração de teses, contando com a presença de facilitadores internos e externos, especialistas nos temas em análise. A entrada é livre, cortesia do Mestrado em Politicas de Desenvolvimento dos Recursos Humanos.
Para mais informações sobre as sessões, consulte o site do CAPP: http://capp.iscsp.ulisboa.pt/…/1616-workshops-permanentes-d….

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Seminário "Como desenhar e defender a sua tese com o software idea puzzle"

A UBI e a Idea Puzzle organizam o seminário gratuito ‘Como desenhar e defender a sua tese com o software Idea Puzzle®’. Este seminário, dirigido pelo Professor Doutor Ricardo Morais, decorrerá no Anfiteatro Amarelo da FCS, no dia 4 de dezembro de 2015, às 14h30.

O seminário conta já com 183 edições e 3961 participantes em 11 países, sendo oferecido anualmente pelo European Institute for Advanced Studies in Management (EIASM) em Bruxelas como um seminário de doutoramento interdisciplinar sobre competências de investigação. No fim do seminário serão apresentados dois prémios de 1000 euros, um em Portugal e outro no estrangeiro, oferecidos pelo Santander Universidades ao melhor desenho de investigação criado com o software Idea Puzzle®.
Inscrição
Gratuita mas obrigatória até dia 2 de dezembro para pimf@ubi.pt
Introdução
O software Idea Puzzle® ajuda-o a avaliar as forças e as fraquezas do seu projeto de investigação em qualquer fase do seu doutoramento. O software coloca-lhe 21 questões baseadas em Filosofia da Ciência, ajuda-o a respondê-las, e permite-lhe auto-avaliar cada resposta. O resultado é um desenho de investigação com cerca de três páginas que inclui uma pontuação total, um mapa visual, e as 21 respostas. O desenho de investigação pode ser submetido a dois prémios de 1000 euros, um em Portugal e outro no estrangeiro, oferecidos pelo Santander Universidades.

Destinatários
Investigadores, orientadores e professores de metodologia em qualquer área de conhecimento.
Resultados
Depois do seminário, os participantes serão capazes de desenhar, diagnosticar e defender um projeto de investigação em qualquer área de conhecimento com o software Idea Puzzle®. Estes resultados constituem um investimento em competências de investigação vitalícias.
Temas
  1. Investigação como um sistema de 21 questões
  2. Questões teóricas da sua investigação
  3. Questões metodológicas da sua investigação
  4. Questões empíricas da sua investigação
  5. Questões retóricas da sua investigação
  6. Questões autorais da sua investigação
  7. Aplicação à investigação dos participantes com o software Idea Puzzle®

Especialista
Ricardo Morais é professor de Gestão na Universidade Católica Portuguesa no Porto, coordenador do Eden seminar “How to design your PhD” no European Institute for Advanced Studies in Management (EIASM) em Bruxelas, fundador da Idea Puzzle e alumni da HPI School of Design Thinking na Alemanha. É doutorado em Gestão Estratégica pela Universidade de Jyväskylä (primeiro português doutorado na Finlândia em Ciências Sociais) e licenciado em Gestão pela Universidade do Porto. Os seus interesses de investigação incluem desenvolvimento de teoria, realismo crítico, formulação estratégica, gestão multinacional e design thinking. Desde 2002, lecionou estes temas em mais de 50 universidades em 11 países. É membro da Academy of Management, Strategic Management Society e Academy of International Business.

Publicações selecionadas

Morais, R. 2014. Rethinking researcher education. Position paper for the inaugural meeting of Researcher Education and Career Special Interest Group of the European Association for Research on Learning and Instruction, 21-23 September, Barcelona, Spain.
Morais, R. 2011. Critical realism and case studies in international business research. In Piekkari, R. & Welch, C. (Eds.), Rethinking the Case Study Approach in International Business Research: 63-84, Cheltenham, UK: Edward Elgar Publishing.
Morais, R. 2010. Scientific method. In Mills, A., Durepos, G. & Wiebe, E. (Eds.), Encyclopedia of Case Study Research. 2: 840-842, Thousand Oaks, California: Sage Publications.

Recursos Educativos para prevenir o Bulliyng

El bullying o acoso escolar es una problemática que se repite en las aulas de los diferentes países del mundo, un tema que debe prevenirse y tratarse de forma simultánea en los centros educativos y las familias.
Recursos educativos Bulling | Tiching
Según el último informe de UNICEF (“Ocultos bajo la luz”, publicado en septiembre de 2014), 1 de cada 3 estudiantes del mundo de entre 13 y 15 años han sufrido acoso o intimidación de forma sistemática. A pesar de que se trata de un fenómeno complejo, en el que también influye la sociedad y la cultura, desde los centros educativos puede trabajarse desde la prevención del mismo.
Para darte algunas ideas, te proponemos un listado de 10 recursos que puedes utilizar con tu alumnado, ordenado según edad:
Para los más pequeños (de 6 a 12 años)
  • Bullying con marionetas: Un vídeo animado sobre el acoso escolar realizado con títeres, pensado para estudiantes de Primaria, con el objetivo de transmitir la importancia de informar a los adultos de este tipo de situaciones.
  • ¿Cómo actuar ante el acoso escolar?: ¿Sabes bien qué el el bullying? ¿Puedes diferenciar una pelea esporádica de un caso de acoso escolar? Echa un vistazo a este artículo para poder resolver estas preguntas.
  • ¿Qué es acoso escolar?: Se trata de un interesante vídeo que puedes utilizar para introducir el tema del bullying en el aula, para comenzar a trabajar este tema con tus estudiantes o abrir un debate o turno de preguntas.
Para los más mayores (de 12 a 18 años)
  • Decálogo anti-bullying:  Esta página contiene multitud de documentos que permitirán que el alumnado profundice sobre el tema, pudiendo realizar una reflexión final sobre esta problemática.
  • El acoso escolar: En este vídeo de cuatro minutos profesores y alumnos nos explican qué es el bullying, las situaciones que se dan en los centros educativos y cómo solucionarlo.
  • Cobardes: Cobardes es una interesante película para reflexionar y hablar sobre el bullying en el aula, que cuenta la historia de dos estudiantes de 14 años, un acosador y un acosado.
  • Clasificación de los 4 tipos de acoso básicos: Un artículo del docente Santiago Moll que clasifica los casos de bullying en cuatro grandes grupos que facilita la detección de las diferentes actuaciones relacionadas con el acoso escolar.
  • Algunos datos sobre el bullying:  Un interesante artículo informativo sobre qué es el bullying, datos sobre el acoso escolar, perfil de la víctima y agresor, cómo se produce el bullying, experiencias en el trabajo directo con adolescentes…
  • Save the Children y el Rubius contra el acoso escolar: Seguro que este vídeo atrae la atención de buena parte de tu alumnado, ya que cuenta con la colaboración del internacionalmente conocido youtuber Rubius. ¡No te lo pierdas!
  • Medidas prácticas contra los casos de bullying: ¿No sabes cómo enfrentarte a un caso de acoso escolar? Este interesante artículo recoge un buen número de medidas prácticas para aplicar en el centro educativo, en el aula y para el propio docente.

In Tiching

sábado, 7 de novembro de 2015

Obras de Bauman, Bourdieu e Norbert Elias (para download)


LINK: https://drive.google.com/folderview?id=0B4UG_F2QeFUlREdCR0N3RkktMlE&usp=sharing

BAUMAN, Z. A sociedade individualizada
BAUMAN, Z. Amor Líquido

BAUMAN, Z. Capitalismo parasitário
BAUMAN, Z. Comunidade

BAUMAN, Z. Confiança e medo na cidade
BAUMAN, Z. Em busca da política

BAUMAN, Z. et al. O Papel da Cultura nas Ciências Sociais
BAUMAN, Z. Ética pós-moderna

BAUMAN, Z. Globalização
BAUMAN, Z. Identidade
BAUMAN, Z. La cultura como praxis
BAUMAN, Z. La sociedad sitiada
BAUMAN, Z. Legisladores e intérpretes
BAUMAN, Z. Medo líquido
BAUMAN, Z. Modernidade e Ambivalência

BAUMAN, Z. Modernidade e Holocausto
BAUMAN, Z. Modernidade Líquida
BAUMAN, Z. O mal-estar da pós-modernidade
BAUMAN, Z. Por uma Sociologia Crítica

BAUMAN, Z. Tempos líquidos
BAUMAN, Z. Vida a crédito
BAUMAN, Z. Vida Para Consumo
BAUMAN; MAY. Aprendendo a pensar com a sociologia

BOURDIEU, P. A Dominação Masculina

BOURDIEU, P. A economia das trocas simbólicas
BOURDIEU, P. A ilusão biográfica
BOURDIEU, P. As regras da arte
BOURDIEU, P. Coisas Ditas
BOURDIEU, P. Escritos da educação
BOURDIEU, P. Homo Academicus
BOURDIEU, P. Lições da Aula
BOURDIEU, P. Meditações Pascalianas
BOURDIEU, P. O poder simbólico
BOURDIEU, P. Os Usos Sociais da Ciência
BOURDIEU, P. Para uma Sociologia da Ciência
BOURDIEU, P. Questões de Sociologia
BOURDIEU, P. Razões Práticas - Sobre a Teoria da Ação

ELIAS, N. A Condição Humana
ELIAS, N. A sociedade dos indivíduos
ELIAS, N. O processo civilizador, vol. I: uma história dos costumes
ELIAS, N. O processo civilizador, vol. II: formação do estado e civilização
ELIAS, N. Sobre o tempo
ELIAS, N. Teoria Simbólica


In  Prestes A Surgir