segunda-feira, 20 de julho de 2015

Da Educação e da Pedagogia

Educação: Perspetivas e Desafios
 
Edição/reimpressão:2013
Páginas: 281
Editor: Imprensa da Universidade de Coimbra
ISBN: 9789892605258



Sinopse

Na contemporaneidade, a educação é atravessada por convulsões de grande amplitude e radicalidade, a começar por aquelas que envolvem os seus fundamentos filosóficos, éticos e epistemológicos. Numa transmutação de matrizes de pensamento que abalam as estruturas de racionalidade que outrora orientavam a atividade pedagógica, insinua-se a questão: é possível e desejável encontrar um consenso axiológico mínimo para a educação que permita nortear os seus desígnios e dinamizar os seus agentes?

Educação: Perspetivas e Desafios centra-se nessa questão e debate-a de forma vasta e abrangente, propositadamente distanciada de múltiplos lugares-comuns que, resguardados por uma pretensa tolerância cultural, parecem manter-se inquestionáveis. Na sua heterogeneidade, os dez ensaios, que constituem a obra, enfatizam a dimensão social e moral dos intentos educativos com vista a superar leituras simplistas e redutoras da formação do humano.

Da história e da memória



Vídeo animado que dá a conhecer a vida e os feitos do primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques. Com argumento e realização da autoria de Pedro Lino, resulta de uma parceria conjunta entre o Museu de Alberto Sampaio e a Câmara Municipal de Guimarães e foi desenvolvido no âmbito das Comemorações dos 900 Anos do Nascimento do primeiro monarca português.

domingo, 19 de julho de 2015

Inquietações Pedagógicas...

Da coerência curricular...

“… pelos riachos é que se chega ao mar (…)
o difícil deve ser atingido a partir do fácil.”

São Tomás de Aquino (1225-1274)
(De Modo Studenti in Lauand, 1998, 300)



“Cada problema que eu resolvi transformou-se numa regra, 
que servisse mais tarde para resolver outros problemas."

René Descartes (1596-1650)

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Teoria das Inteligências Múltiplas


A teoria das inteligências múltiplas foi estudada pelo psicólogo Howard Gardner como um contrapeso para o paradigma de uma única inteligência. Ele propôs que a vida humana requer o desenvolvimento de vários tipos de inteligência. Portanto, Gardner não entra em conflito com a definição científica de inteligência como sendo apenas “a capacidade de resolver problemas ou fazer coisas importantes”.
Howard Gardner e seus colegas da prestigiada Universidade de Harvard advertiram que a inteligência acadêmica (obtida através de qualificações e méritos educacionais) não pode ser o fator decisivo para determinar a inteligência de uma pessoa. Gardner e seus colegas poderiam dizer que Stephen Hawking não tem mais inteligência do que Leo Messi, mas cada um desenvolve um tipo diferente.
A pesquisa de Howard Gardner identificou e definiu oito tipos diferentes de inteligência. Vamos ver com mais detalhes cada uma das inteligências propostas pela Teoria das Inteligências Múltiplas de Gardner.

Inteligência linguística

A capacidade de dominar a linguagem e se comunicar com outros é importante em todas as culturas. Desde pequeno o ser humano aprende a usar a língua nativa para ser capaz de se comunicar de forma eficaz. A inteligência linguística não só se refere à capacidade de comunicação oral, mas a outras formas de comunicação como a escrita, gestual, etc. Quem domina melhor essa capacidade de comunicação possui uma inteligência linguística superior. Algumas profissões enfatizam esse tipo de inteligência como, por exemplo, os políticos, escritores, poetas, jornalistas…

Inteligência lógico-matemática

Durante décadas a inteligência lógico-matemática foi considerada um tipo de inteligência bruta. Ela assumiu o eixo principal do conceito de inteligência, e foi usada como um ponto de referência para detectar o quão inteligente era uma pessoa. Como o próprio nome indica, este tipo de inteligência está ligada à capacidade de raciocínio lógico e resolução de problemas matemáticos. A velocidade para resolver estes problemas é o indicador que determina quanta inteligência lógico-matemática a pessoa tem. O famoso teste de quociente de inteligência (QI) é baseado neste tipo de inteligência e, em menor proporção, na inteligência linguística. Cientistas, economistas, acadêmicos, engenheiros e matemáticos muitas vezes se destacam neste tipo de inteligência.

Inteligência espacial

A capacidade de observar o mundo e os objetos em diferentes perspectivas está relacionada a este tipo de inteligência, em que se destacam os profissionais de xadrez e artes visuais (pintores, designers, escultores…). Pessoas que se destacam nessa inteligência, geralmente têm habilidades que lhes permitem criar imagens mentais, desenhar e identificar detalhes, além de um sentimento pessoal de estética. Com essa inteligência desenvolvida, encontramos pintores, fotógrafos, designers, publicitários, arquitetos,  e outras profissões que exigem criatividade…

Inteligência musical

A música é uma arte universal. Todas as culturas têm alguma forma de música, mais ou menos elaborada, levando Gardner e seus colegas a entenderem que há uma inteligência musical latente em todos. Algumas áreas do cérebro executam funções relacionadas ao desempenho e à composição da música. Como qualquer outro tipo de inteligência, você pode treinar e melhorar. Os mais favorecidos neste tipo de inteligência são aqueles capazes de tocar instrumentos, ler e compor peças musicais com facilidade.

Inteligência corporal e sinestésica

As habilidades motoras do corpo são necessárias para utilizar ferramentas ou para expressar certas emoções, é essencial para o desenvolvimento em qualquer cultura. A capacidade de usar ferramentas é considerada uma inteligência sinestésica corporal. Além disso, a capacidade intuitiva da inteligência corporal é utilizada para expressar sentimentos através do corpo. São particularmente brilhantes neste tipo de inteligência: dançarinos, atores, atletas e até mesmo cirurgiões e artistas plásticos, porque todos eles precisam usar racionalmente as suas capacidades físicas.

Inteligência intrapessoal

A inteligência intrapessoal se refere à inteligência que nos permite compreender e se controlar internamente. As pessoas que se destacam neste tipo de inteligência são capazes de acessar seus sentimentos e refletir sobre eles. Essa inteligência também lhes possibilita aprofundar a visão e compreender as razões sobre o porquê de uma pessoa ser do jeito que é.

Inteligência interpessoal

A inteligência interpessoal nos permite ficar conscientes de coisas que os nossos sentidos não conseguem captar. É uma inteligência que nos possibilita interpretar palavras, gestos, objetivos e metas subentendidos em cada discurso. A inteligência interpessoal aprimora a nossa capacidade de empatia. É uma inteligência muito valiosa para as pessoas que trabalham com grandes grupos. Sua capacidade de detectar e compreender as circunstâncias e problemas dos outros será maior com a inteligência interpessoal. Professores, psicólogos, terapeutas, advogados e educadores são perfis que têm uma pontuação muito elevada neste tipo de inteligência descrita na teoria das inteligências múltiplas.

Inteligência naturalista

A inteligência naturalista detecta, diferencia e categoriza as questões relacionadas com a natureza, como espécies animais e vegetais ou fenômenos relacionados ao clima, geografia ou fenômenos naturais. Este tipo de inteligência foi adicionado mais tarde ao estudo original de Inteligências múltiplas de Gardner, em 1995. Gardner achou necessário incluir nesta categoria porque é uma das inteligências essenciais para a sobrevivência do ser humano e de outras espécies.

Contextualizando

Gardner afirma que todas as pessoas possuem cada um dos oito tipos de inteligência, embora cada tipo seja mais desenvolvido em algumas pessoas do que em outras, todos os oito tipos tem a mesma importância e não há uma mais valiosa que a outra. Em geral, precisamos utilizá-las para enfrentar a vida, independentemente da ocupação realizada. Afinal, a maioria dos trabalhos requer o uso da maioria dos tipos de inteligência. A educação ensinada na sala de aula é um procedimento destinado a avaliar os dois primeiros tipos de inteligência: linguística e lógica matemática. No entanto, esta educação é totalmente inadequada para educar os alunos na plenitude do seu potencial. A necessidade de mudança no paradigma educacional foi trazida à discussão pela Teoria das Inteligências Múltiplas de Gardner.
Fonte: PsicologiayMente traduzido e adaptado por Psiconlinews.

II Congresso Português de Psicologia Positiva

O ISCSP organiza o II Congresso Português de Psicologia Positiva, que decorre entre os dias 11 e 13 de setembro de 2015, no Instituto. Esta iniciativa terá o tema "Comunidades Positivas e Bens Relacionais: co-construção da Felicidade Pública" debatido por um painel de especialistas, investigadores e intervenientes nacionais e internacionais.

A iniciativa visa criar um espaço de reflexão sobre práticas e teorias de mudança comunitária positiva, cruzando experiêncas de terreno, dados de investigação e modelos empíricos, que permitam o debate de práticas e teorias da nova ciência da psicologia positiva e respectivo impacto social, cultural e político. É ainda intenção deste encontro criar consequências reais para os intervenientes na iniciativa e para a comunidade envolvente. Através de extratos de poemas e cartas de Florbela Espanca, poetisa caliponense, a organização pretende integrar a literatura científica e as práticas de psicologia positiva na matriz e estrutura poética da autora.

A Escola de Liderança e Inovação do ISCSP (iFOR-ISCSP), a Plataforma para a Felicidade Pública, a Unidade de Coordenação de Gestão de Recursos Humanos e o Centro de Administração e Políticas Públicas do Instituto (CAPP-ISCSP) contribuíram também para a organização deste evento.

A organização aceita inscrições até ao dia 20 de agosto de 2015. Consulte o programa completo e faça a sua inscrição através do e-mail eventos@iscsp.ulisboa.pt ou 2congressoppositiva@iscsp.ulisboa.pt e do telefone 213 600 426.

bullet_red Programa - Download (.pdf)

Para acompanhar novidades e  informações sobre o Congresso, nomeadamente Inscrições visite FLORESCE

terça-feira, 14 de julho de 2015

Projeto de Investigação - Educação Especial

Comunicação em formato de Poster apresentada na Escola Superior de Educação de Santarém - 14 de julho.

(clique na imagem para aumentar e ler)

sábado, 11 de julho de 2015

Nova Portaria regula a transição para a vida pós-escolar de alunos com NEE-CEI

A Portaria n.º 201-C/2015, de 10 de julho vem revogar a Portaria n.º 275-A/2012, de 11 de setembro que regula o ensino dos alunos com NEE, com Currículo Específico Individual (CEI) e Plano Individual de Transição (PIT), com 15 ou mais anos de idade, em processo de transição para a vida pós-escolar, ao abrigo das disposições conjugadas dos artigos 14.º e 21.º do Decreto-Lei n.º 3/2008 de 7 de janeiro.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

terça-feira, 7 de julho de 2015

SÍNDROME DE TOURETTE EM CRIANÇAS

A Síndrome de Tourette é um distúrbio neurológico caracterizado pela presença de tiques motores e vocais, não necessariamente ao mesmo tempo. Os primeiros sintomas costumam aparecer na infância, normalmente por volta dos sete anos de idade, mas isso pode variar de pessoa para pessoa, podendo se manifestar mais cedo ou mais tarde e, em geral, os tiques motores (como piscadelas dos olhos por exemplo) surgem antes dos tiques vocais (que podem ser tosses, exclamações, gritos, entre outros).
As causas da Síndrome de Tourette ainda são desconhecidas, embora a influência de fatores genéticos e neurobiológicos seja considerada. Mas existem ainda muitos estudos a respeito do tema.
tratamento dos sintomas da Síndrome associa simultaneamente uma abordagem psicossocial e uma farmacológica. No primeiro, leva-se em conta o histórico, o ambiente familiar, social, escolar, entre outros para que a intervenção seja no sentido de orientar àqueles que convivem com o indivíduo, auxiliando a lidar com o problema e a diminuir os estigmas. Além disso, deve ser realizada uma cuidadosa avaliação acerca da intensidade dos sintomas, já que o tratamento farmacológico (quando necessário) terá o papel de diminuí-los, proporcionando certo alívio e melhora da qualidade de vida. Até o momento não há tratamento curativo para a Síndrome de Tourette.
Referências: ASTOC – Associação Brasileira de Síndrome de Tourette, Tiques e Transtorno Obsessivo Compulsivo
O vídeo infra é o trailer de um premiado documentário da HBO acerca da Síndrome de Tourette em Crianças. Um dos principais objetivos é justamente o de disseminar informação e eliminar estigmas, já que o preconceito ainda é a pior consequência desta Síndrome, especialmente na infância.
Informação disponível em Psicologia Acessível

Aprender valores éticos e morais

Atividades:
Bondade, Compaixão, Solidariedade

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Tese de Doutoramento em Educação - NEE

BUM - Tese de Doutoramento:

      Titulo: Formação psicológica inicial de professores: atenção à educação inclusiva em Moçambique
    Autores:  Almeida, Leandro S.
             Nhapuala, Gildo António
         ID:  http://hdl.handle.net/1822/35821

Data: 23-Jan-2015

Palavras-chave: Educação Inclusiva, Necessidades Educativas Especiais, Formação de Professores, Sistema Educativo de Moçambique.

Resumo: Este estudo surge no contexto da atualidade e emergência da educação inclusiva em Moçambique e da atenção à melhor qualificação científica e pedagógica dos professores para responderem com êxito aos desafios da educação inclusiva. Apoiando-se nas próprias vivências dos professores, interessou-nos perceber que conceções possuem sobre educação inclusiva, assim como compreender como os professores percecionam a qualidade e relevância da sua formação inicial na área da educação inclusiva, bem como a sua preparação para trabalhar em contextos educativos inclusivos. Esta discussão é feita considerando um conjunto de variáveis de natureza sociodemográfica (idade, género) e variáveis profissionais (duração da formação, experiência docente) por parte dos professores da nossa amostra. O estudo considerou uma amostra de 329 professores de escolas do ensino básico na cidade e província de Maputo. Com uma abordagem quantitativa, o estudo considerou a construção e validação de um questionário sobre as vivências dos professores nas três dimensões de interesse do estudo, nomeadamente conceções sobre educação inclusiva, perceção sobre qualidade e relevância da sua formação inicial, e preparação para trabalhar em educação inclusiva. Os resultados obtidos mostram não existir diferenças estatisticamente significativas nomeadamente tomando o tempo de serviço e género dos professores, bem como em função dos anos de duração da sua formação inicial. Diferenças nos resultados foram observadas tomando os professores consoante tiveram experiência anterior ou não com alunos com necessidades educativas especiais. Os professores com essa experiência mostram resultados mais positivos tanto nas suas conceções sobre educação inclusiva bem como na avaliação sobre a qualidade da formação recebida e preparação para trabalhar em contextos educativos inclusivos comparativamente aos professores sem nenhuma experiência.

terça-feira, 30 de junho de 2015

TDAH e outros transtornos de aprendizagem

Pais e professores sabem o quanto é difícil lidar com crianças que não se concentram, são agitadas e muitas vezes impulsivas. Crianças com estas características muitas vezes são rotuladas, porém, devemos saber se elas são muito agitadas, extremamente “levadas” sem limites, ou se possuem TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade). 
Para crianças com TDAH, concentrar-se é algo difícil. Distraem-se com facilidade, não se lembram de suas obrigações, perdem e esquecem objetos com frequência, têm dificuldades em seguir instruções e se organizarem, falam de maneira excessiva a ponto de não serem capazes de esperar a sua vez, o que as leva a responderem perguntas antes mesmo delas serem concluídas. Encontram dificuldades no desempenho escolar em decorrente do impacto destes sintomas. 
No vídeo infra são sinalizados outros sintomas que podem ajudar pais, professores, educadores e outras pessoas a detetarem os sintomas do TDAH. Adverte-se, no entanto, para o seguinte: mesmo que estes sintomas sejam indicadores favoráveis ao transtorno, é imprescindível que seja realizado um bom diagnóstico feito por um profissional habilitado.


Socorro Bernardes - Psicopedagoga, Psicanalista Clínica, Palestrante, Bacharel em Administração de Empresas, Professora do município de Juazeiro-BA na área de Atendimento Educacional Especializado, Escritora/poetisa com livro publicado pela Editora Baraúna e CBJE.

Novo Nº da Revista Portuguesa de Educação



V. 28, N. 1 (2015)

SUMÁRIO
EDITORIAL
Editorial PDF PDF
Maria Alfredo Moreira, Maria José Casa-Nova 3-8





ARTIGOS
Sonorona o el rizoma de la cultura digital. Um estudio de caso (PDF)  9-33
Mónica María López Gil, Félix Angulo Rasco

Novas tecnologias, riscos e oportunidades na perspetiva das crianças (PDF)  35-57
Ana Francisca Monteiro, António José Osório

Estratégias e modelos de avaliação utilizados pelos Centros de Recursos TIC no aconselhamento de produtos de apoio para alunos com Necessidades Educativas Especiais (PDF) 59-93
Simone da Fonte Ferreira, Ana Margarida Almeida

Jogo e protagonismo da criança na educação infantil (PDF) 95-116
Lívia Carvalho de Assis, André da Silva Mello, Amarílio Ferreira Neto, Wagner dos Santos, Omar Schneider

Escalas representadas em gráficos: Um estudo de intervenção com alunos do 5º ano PDF 117-138
Maria Betânia Evangelista, Gilda Lisbôa Guimarães

Manuais escolares de Ciências Naturais de 8º ano em Portugal e estrutura conceptual do PISA 2006 (PDF) 139-169
Maria P. Lobo Antunes, Cecília Galvão

Feedback na prática letiva: Uma oficina de formação de professores (PDF) 171-199
Jesuína Fonseca, Carolina Carvalho, Joseph Conboy, Helena Salema, Maria Odete Valente, Ana Paula Gama, Edite Fiúza

Variáveis pessoais e socioculturais de diferenciação das expectativas académicas: Estudo com alunos do Ensino Superior do Norte de Portugal e Galiza (PDF) 201-220
Alexandra M. Araújo, Leandro S. Almeida, Alexandra R. Costa, Sonia Alfonso, Ángeles Conde, Manuel Deaño

A Revista Portuguesa de Educação (ISSN 0871-9187) é uma publicação semestral do Centro de Investigação em Educação do Instituto de Educação da Universidade do Minho.